Conselheiro do São Paulo acusa Leco de agressão e deve registrar B.O. - OChute }

Conselheiro do São Paulo acusa Leco de agressão e deve registrar B.O.

por   em Notícias
  • Pedro Mauad disse que o conflito aconteceu na entrada do salão nobre do estádio do Morumbi, após empate com o Corinthians

    Destaque Conselheiro do São Paulo acusa Leco de agressão e deve registrar B.O. Divulgação/São Paulo FC
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    Ao que tudo indica, no São Paulo, não há situação ruim que não possa piorar. Além da situação delicada do time no Campeonato Brasileiro, a diretoria do clube terá mais um problema para se preocupar. O conselheiro Pedro Mauad acusou o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva de cometer agressões física e verbal neste domingo, no Morumbi, durante o empate com o Corinthians, por 1 a 1.

    Por conta do episódio, Mauad deve registrar um boletim de ocorrência junto à polícia. "Vou fazer amanhã (segunda-feira). Fui orientado a fazer porque foi uma esganadura", disse o conselheiro. Até o momento o presidente não se pronunciou sobre o caso.

    "Estávamos saindo dos camarotes e estendi a mão para cumprimentar o presidente. Ele me cumprimentou e falou uma série de coisas, falou que eu vou pagar. Ele falou palavrão de tudo quanto é jeito. O filho dele me empurrou. Eu disse não põe a mão em mim. Daí o Leco pulou na minha garganta. Foi na entrada do salão nobre, deve ter câmera lá, só ver as imagens. Eu estava com um saco de pipoca numa mão e com a outra me defendi. Acho que ele segurou minha camisa pra tentar me dar um soco. Não sei se ele largou porque quis ou se foi puxado por alguém", explicou Mauad em entrevista ao portal Uol.

    O conselheiro ainda disse que Leco estava acompanhado de seu filho, Fernando de Barros e Silva, que tentou separar o presidente do São Paulo para evitar uma briga. "Devo estar cobrando muita coisa e isso deve estar incomodando nosso presidente. Desrespeitou um sócio, conselheiro e idoso. Tenho 33 anos de clube e 65 anos de idade. Ele mostrou desespero de quem está perdido. Tenho cobrado muito, mas não queria falar nada com ele. Mas quando ele reagiu daquele jeito, eu queria saber o que eu fiz, queria que me explicasse o que fiz pra ofender tanto ele", contou.

    De acordo com o regimento interno do São Paulo agressões físicas de dirigentes ou conselheiros nas dependências do clube podem gerar suspensão das atividades por até 120 dias. Assim, é provável que Leco seja julgado pelo comitê de ética do clube.

    "Vamos entrar com uma representação no Conselho Deliberativo contando o que aconteceu. Meu grupo, o MSP (Movimento São Paulo) é que está cuidando disso. Na terça devo encontrar o Leco no clube. Vou pedir desculpas se o ofendi. Minha vontade é dar um abraço e dizer que já passou. Mas queria saber o que o incomodou. Faço muitas cobranças no Facebook, cobro a venda de jogadores, contratações malfeitas, cobro tudo e vou continuar cobrando. Fui eleito pra isso. Acho que se ele está desequilibrado por causa da pressão, deveria se afastar um pouco pra voltar inteiro", avisou Mauad.

    Relacionadas