Taça Libertadores é obsessão - OChute }

Taça Libertadores é obsessão

por  Leonardo Leite em Opinião
  • Com desvantagem no confronto diante do Barcelona, o Palmeiras precisa vencer por dois gols de diferença a partida desta quarta-feira (9), no Allianz Parque

    Destaque Taça Libertadores é obsessão Cesar Greco/Ag. Palmeiras
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    É a primeira das finais. Como bem falou Egídio na noite passada: é preciso jogar 200%. A meta do ano do Palmeiras volta hoje, e volta gritando. É obsessão. A derrota no primeiro jogo não abalou a equipe, que conhece sua capacidade de reverter resultados em casa. Contudo, é justamente este estilo de jogo que agrada o Barcelona de Guayaquil. Os equatorianos gostam de aproveitar a velocidade no contra-ataque. Não dá para vacilar. Tem que encarar como final e dar tudo de si.

    A torcida está fazendo a sua parte e promete montar um mosaico hoje à noite. O caldeirão será a força do Verdão, como tem sido durante a Libertadores. Em todos os jogos em São Paulo a equipe saiu com o resultado favorável. No entanto, nos primeiros jogos em casa a equipe venceu no sufoco, coisa que não pode acontecer. A derrota por 1x0 fora de casa força o Verdão a vencer por pelo menos 2 gols de diferença para avançar direto para as quartas.

    O futebol da equipe tem crescido nos últimos jogos, mas crescer não é o suficiente para esta partida. O Palmeiras não poderá mostrar seus gargalos em campo. Não pode ter buracos nas reposições dos laterais, a zaga tem que estar em perfeita sintonia, e o ataque não pode errar tantos gols. A bola encaixada de pé em pé tem que parar no fundo da rede, e não no pé dos adversários. É chamar a torcida e partir pra cima, sentir que é obsessão. Boa parte do elenco já teve a oportunidade de sentir o fervor da torcida em um mata-mata. É de dar medo no adversário. Numa Libertadores, provavelmente, os gritos serão ainda mais ensurdecedores. É obsessão.

    Hoje é tudo ou nada. Não pode jogar com 80%, porque a torcida estará a mil. O Barcelona deve vir recuado, e isso exigirá paciência e cautela. Mas em casa quem manda é o dono. Tem que jogar em cima e mordendo o adversário, acuar para sair classificado para a próxima fase. Hoje, os erros não serão perdoados. O Palmeiras é gigante, e a equipe do capitão Dudu está preparada para escrever mais um capítulo da história do clube.

    Alterado: Quarta, 09 Agosto 2017 11:00

    Relacionadas