Por Hernane, clube árabe cobra 10 milhões de euros do Sport - OChute }

Por Hernane, clube árabe cobra 10 milhões de euros do Sport

por   em Notícias
  • O Al Nassr entende que, quando assinou contrato com o time pernambucano, o atacante ainda tinha contrato vigente

    Destaque Por Hernane, clube árabe cobra 10 milhões de euros do Sport Lino Sultanum/Sport Club do Recife
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    Contratado em 2015 pelo Sport, o atacante Hernane continua sendo pauta no clube pernambucano. Por conta de um processo milionário aberto pelo jogador contra o Al Nassr, da Arábia Saudita, cobrando salários atrasados e vencimentos que tinha direito até o fim do contrato.

    A ação já estava perto de ser julgada pela Fifa, na Suíça, mas a diretoria do clube árabe resolveu lançar mão de um artifício para atrasar a decisão favorável ao Brocador: cobrar o pagamento da multa rescisória do atacante, avaliada em 10 milhões de euros (R$ 34 milhões), pelo Leão da Ilha.

    A estratégia do Al Nassr aproveita o que diz o estatuto da Fifa. De acordo com as regras, após a entidade máxima autorizar a rescisão de um jogador com um clube e, posteriormente, esta equipe for vencedora no litígio judicial que ficou em aberto, o seu novo empregador se encarrega de pagar a multa rescisória para o antigo clube.

    Quando, em 2015, Hernane abandonou o Al Nassr, por conta da falta de pagamento de salários, o Sport o acolheu e assumiu o risco, pois, até hoje a sentença sobre o processo aberto pelo atacante contra os árabes não saiu. Hoje, o Brocador está no Bahia.

    Em entrevista ao portal “Globoesporte”, o diretor de futebol do Sport, Rodrigo Barros, confirmou o contato da Fifa, mas minimizou o caso.

    “O Al Nassr procurou a Fifa afirmando que o Sport contratou Hernane de forma ilegal e notificou o clube, tentando processar. Mas, no momento, a Fifa não está processando o Sport. Ela apenas pediu para que apresentasse sua versão do fato”, afirmou.

    De acordo com o dirigente rubro-negro, quando o Sport fechou a contratação, os direitos de Hernane pertenciam ao Mirassol, clube de São Paulo utilizado por empresários para registrar atletas. Assim, ele acredita que a possibilidade de o Leão da Ilha ser prejudicado no caso é muito pequena.