Alexandre Mattos torce pela contratação de Drogba no Corinthians - OChute }

Alexandre Mattos torce pela contratação de Drogba no Corinthians

por   em Notícias
  • "Sinceramente é legal [a possibilidade de Drogba no Corinthians], tomara até que aconteça", disse o diretor alviverde

    Destaque Alexandre Mattos torce pela contratação de Drogba no Corinthians Cesar Greco/Ag. Palmeiras
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    Apesar de ser diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos afirmou, em entrevista à ESPN, nesta sexta-feira (13), que torce para que o atacante Didier Drogba seja contratado pelo Corinthians.

    "Sinceramente é legal [a possibilidade de Drogba no Corinthians], tomara até que aconteça", disse no programa Bate Bola.

    O dirigente alviverde citou o veterano Zé Roberto para defender a tese de que a idade avançada não atrapalha o rendimento do jogador, caso ele se cuide.

    "É importante ter os grandes jogadores do mundo olhando para o Brasil, o Zé Roberto é o grande exemplo, a prova viva de que a idade não pesa tanto quando o atleta se cuida", avaliou Mattos, em alusão aos 38 anos de Drogba.

    Durante a entrevista, Mattos admitiu que recebe várias ligações de clubes interessados em Yerry Mina. No entanto, o dirigente afirmou que o Palmeiras não é um balcão de negócios.

    "O Mina muita gente liga, mas ele está tranquilo. O Mina tem cinco meses de Palmeiras, aqui não é balcão de negócio, aqui a preocupação é técnica, claro que preocupação financeira vem depois de um ciclo", declarou.

    O diretor confirmou a permanência de Mina para a temporada 2017 e explicou o artifício da preferência de compra concedida ao Barcelona para que o zagueiro colombiano não fosse para o futebol alemão.

    "Ele quer ganhar o Paulista, que não ganhamos há nove anos, quer ganhar a Libertadores, tentar disputar o Mundial, ganhar a Copa do Brasil que ele não ganhou, mais um Brasileiro. O Mina sabe disso tudo, talvez depois da Copa do Mundo, ano de Copa do Mundo, talvez seguir depois o seu caminho, que é justo", explicou Mattos.