Palmeiras e Santos analisam mercado e consideram interinos para 2018 - OChute }

Palmeiras e Santos analisam mercado e consideram interinos para 2018

por   em Editorial
  • Pelas escassas opções de técnicos sem contratos vigentes, Alberto Valentim e Elano podem ganhar chance, mas precisam apresentar resultados imediatos

    Destaque Palmeiras e Santos analisam mercado e consideram interinos para 2018 Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    Fábio Carille foi efetivado pelo Corinthians em dezembro de 2016. A aposta da diretoria alvinegra no, até então, interino tinha a ver com as perspectivas ruins que a atual temporada trazia. Sem dinheiro para contratar, o Timão podia se dar ao luxo de manter um profissional em começo de carreira à frente da comissão técnica.

    A situação, no entanto, é diferente em Palmeiras e Santos. Depois de demitirem Cuca e Levir Culpi, os rivais precisam planejar 2018 pensando em Libertadores e com elencos mais badalados. Com isso, a manutenção de Alberto Valentim e Elano seria mais complicada.

    Para que um técnico interino dê certo, é preciso que haja resultado imediato. Com as expectativas baixas, Carille encontrou um esquema tático eficiente, conquistou o Campeonato Paulista e emendou com um primeiro turno de Brasileirão espetacular, o que deu tranquilidade para que seu trabalho fosse desenvolvido e ainda lhe rendeu uma renovação contratual por dois anos.

    No Palmeiras, Mano Menezes era o nome predileto da diretoria para assumir o lugar de Cuca. No entanto, o treinador preferiu renovar com o Cruzeiro. Alberto Valentim, então, passou a ganhar o apoio do elenco e, com três vitórias nos últimos quatro jogos do Brasileirão, recolocou o Verdão na briga pelo título brasileiro.

    Caso o bom desempenho do time alviverde se mantenha e o decacampeonato nacional seja conquistado, a diretoria palmeirense vai se ver pressionada a mantê-lo no cargo. Afinal, para que trocar o atual técnico campeão brasileiro?

    A situação na baixada santista é mais complicada para Elano. O Peixe vem caindo de produção e não mostra força para brigar pelo título nacional. O interino de 36 anos teria que promover uma completa mudança de postura no time para conseguir credenciamento para continuar no comando técnico para 2017.

    O mercado não ajuda na busca por técnicos. Nenhum grande nome está sem contrato. No Santos, Roger Machado agrada, mas é questionado por não ter um currículo extenso e ser bem mais caro do que Elano.

    Outro nome que interessa é Jair Ventura, que também está na mira do Palmeiras. Porém, o treinador tem contrato com o Botafogo até dezembro de 2018 e também é iniciante.

    Relacionadas