Grêmio aprendeu com Palmeiras e Santos e se deu bem no Equador - OChute }

Grêmio aprendeu com Palmeiras e Santos e se deu bem no Equador

por   em Editorial
  • Depois da decepção com o Fluminense, em 2008, na final contra a LDU, Renato Gaúcho mostrou capacidade de armar o plano certo para finalmente conseguir a conquista da América

    Destaque Grêmio aprendeu com Palmeiras e Santos e se deu bem no Equador LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    Toda a falta de convicção mostrada por Palmeiras e Santos no Equador não se repetiu com o Grêmio. O time de Renato Gaúcho não quis saber se conversa, amassou o Barcelona de Guayaquil desde o início da partida e fez o que os brasileiros eliminados nas oitavas e nas quartas de final deveriam ter feito: imposto sua superioridade técnica e arrancado um bom resultado no Estádio Monumental Isidro Romero Carbo.

    O retorno de Luan ao setor ofensivo foi de grande valia para a criação de jogadas e a manutenção da bola no ataque, o que dificultava muito o jogo do Barcelona. Sem contar os dois gols marcados pelo campeão olímpico, que abriu e fechou o placar de 3 a 0 – Edilson marcou o segundo tento, em cobrança de falta.

    Renato Gaúcho identificou a força do time equatoriano nas jogadas pelas laterais. Com isso, o técnico armou o Tricolor Imortal num 4-4-2, em que os jogadores de lado de campo impediam o avanço do Barcelona por estes setores.

    A entrada de Caicedo, já no segundo tempo, fez com que a equipe da casa criasse boas jogadas pela esquerda. Foram três boas chances, mas o placar seguiu zerado para os equatorianos com méritos para Marcelo Grohe, que fez uma defesa sensacional, à queima-roupa, em chute de Ariel, atacante ex-Internacional.

    Com os 3 a 0 fora de casa, o Grêmio deverá apenas cumprir o protocolo do segundo jogo, na Arena, em Porto Alegre, e esperar o vencedor do confronto entre Lanús e River Plate.

    A vaga quase que assegurada na final da Libertadores justifica a escolha de Renato em poupar seus atletas no Brasileirão, abrindo mão do título. Jogadores descansados, cientes do que precisavam fazer, recuperaram o bom futebol mostrado no início do ano e corresponderam na decisão do Equador.

    Depois da decepção com o Fluminense, em 2008, na final contra a LDU, o treinador do Grêmio mostrou capacidade de armar o plano certo para finalmente conseguir a conquista da América. Será que finalmente a estátua sai?

    Relacionadas