O Balanço da janela europeia nos clubes das principais ligas do continente - OChute }

O Balanço da janela europeia nos clubes das principais ligas do continente

por   em Editorial
  • Barcelona e Chelsea saem como grandes perdedores após terem várias propostas recusadas; Arsenal e Liverpool seguram suas estrelas

    Destaque O Balanço da janela europeia nos clubes das principais ligas do continente Reprodução/Twitter
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    O mercado de transferências nas cinco grandes ligas europeias foi encerrado nesta sexta-feira com o fechamento da janela na Espanha, um dia após das dos demais países. E o verão foi agitado na Europa, com várias grandes transações e recordes sendo quebrados.

    Com a temporada 2017/18 ainda no início e a Champions League começando no meio de setembro a sua tão esperada fase de grupos, os clubes tem pouco menos de duas semanas para se organizar e começar a esboçar a sua equipe para a temporada.

    Espanha

    A janela não foi nenhum pouco feliz para os clubes espanhóis e especialmente para o Barcelona. O clube catalão perdeu uma de suas maiores estrelas e falhou em várias contratações como as de Philippe Coutinho, Di Maria, Bellerín, Verratti... Com apenas quatro aquisições depois de uma temporada considerada ruim, o técnico Ernesto Valverde terá que ter jogo de cintura para ajeitar a equipe. Deulofeu, Paulinho, Semedo e Dembélé são os novos nomes do clube, sendo que apenas dois ou três deles chegam para ser titular.

    Mas, a janela também não foi boa para os demais grandes clubes do país. Enquanto o Atlético de Madrid está impedido de contratar até janeiro de 2018, o Real Madrid trouxe jogadores apenas para compor o elenco. Além disso, perdeu James Rodríguez e Alvaro Morada, dois atletas de grande qualidade que eram reservas, mas de extrema confiança. Além deles, os merengues falharam ao tentar trazer Mbappé que acabou fechando com o PSG.

    França

    A Ligue 1 talvez nunca tenha ganhado tanta atenção da mídia quanto neste verão europeu. A contratação de Neymar agitou o país no início de agosto e o fim da novela Mbappé com o empréstimo do jogador no último dia da janela também repercutiu muito. Além deles a chegada de Daniel Alves ao PSG elevou a equipe para um outro patamar, sendo considerada por muitos uma equipe poderosa e a partir de agora uma das favoritas a Champions League. Além das contratações pontuais de extrema qualidade, o time da capital francesa não perdeu nenhum atleta, mantendo a base do seu elenco.

    Por outro lado, o Monaco, atual campeão nacional, perdeu ao menos um atleta por posição, enfraquecendo a base do time. Mesmo assim fez um bom dinheiro e foi buscar peças de reposição, mantendo o seu elenco forte. Mbappé, Bakayoko, Bernardo Silva, Mendy e Germain deixaram o clube que buscou 10 reforços, todos desconhecidos por boa parte do público, mas com potencial de crescimento.

    Itália

    Três clubes se destacaram nesta janela de transferências. Apesar de perder jogadores como Rudiger e Salah, a Roma contratou praticamente um time de novos atletas, mas assim como o Monaco na França, todos praticamente desconhecidos do público, vindo de equipes medianas para procurar o seu espaço. Por outro lado, a atual campeã Juventus abriu os cofres para trazer grandes reforços como Douglas Costa, Bernardeschi, Matuidi, Howedes, De Sciglio e a compra definitiva de Cuadrado e Benatia. Se o elenco alvinegro já era forte, Allegri não poderá reclamar de falta de opções nesta temporada.

    Adquirido por uma empresa chinesa, o Milan foi o clube que mais se deu bem em contratações na Itália, mesclando jogadores experientes de qualidade com jovens promessas. Foram 11 contratados e entre eles merece destaque Bonucci, Biglia, Conti, André Silva, Calhanoglu e Késsie. Além disso, renovou o contrato do seu jovem goleiro Donnarumma que já é ídolo do torcedor.

    Alemanha

    Ao lado do mercado espanhol, os clubes alemães também foram mais comedidos nesta janela. No entanto, também gastaram um bom dinheiro em contratações. O Bayern de Munique, por exemplo, não perdeu quase nenhum jogador e ainda garantiu importantes contratações como a de James Rodríguez, Tolisso e Sule. Enquanto isso, o Borussia Dortmund também se mexeu na busca por novos nomes, principalmente após vender Dembélé ao Barça por 105 milhões de euros. Os aurinegros contrataram jogadores sem grande prestígio, mas que podem crescer. Maximilian Philipp, Dahoud e Sancho podem ser tornar o ‘novo Dembélé’ do clube.

    Inglaterra

    Como esperado, por conta do dinheiro das cotas de televisão e por se tratar da liga mais cara e vista no mundo, a Premier League teve grandes movimentações financeiras. Destaque maior para o Manchester City de Pep Guardiola que contratou grandes nomes e promessas para a temporada 2017/18. Danilo, Walker, Mendy, Ederson e Bernardo Silva foram os principais reforços da equipe que desembolsou mais de 200 milhões de euros em reforços. Já o atual campeão inglês saiu frustrado da janela. A chegada de Morata, Rudiger, Bakayoko e Drinkwater não agradaram por completo o técnico Antonio Conte que esperou até o último minuto a contratação de mais um meia e um atacante.

    Situação semelhante à de José Mourinho que viu apenas Lidelof, Matic e Lukaku chegarem. Apesar de serem contratações pontuais e de jogadores que vem para serem titulares, o português esperava um pouco mais da diretoria.

    O grande trunfo do Liverpool, por outro lado, não foi a contratação do egípcio Salah, mas sim a permanência de Coutinho. Os Reds rejeitaram ao menos quatro propostas altas do Barcelona e deverão vir fortes para a Champions League com as incorporações de Chamberlain, Robertson e Solanke, além de Salah.

    Por fim, o Arsenal também conseguiu manter tanto o lateral Bellerín quanto o atacante Alexis Sánchez que era visado por Pep Guardiola. Das contratações, apenas duas merecem destaque: Kolasinac e o atacante Lacazette. Neste primeiro ano sem Champions League para Arsène Wenger, os Gunners deverão sofrer para conseguir brigar entre os primeiros colocados.

    Relacionadas