Barcelona perde Neymar, mas clube respira aliviado com a entrada do dinheiro - OChute }

Barcelona perde Neymar, mas clube sorri com cheque de 222 milhões de euros

por   em Editorial
  • Equipe Catalão economizará muito com a saída de Neymar e poderá finalmente contratar jogadores de renome para reforçar a equipe

    Destaque Cheque que Neymar deu ao Barcelona para rescindir o seu contrato Reprodução/ Twitter Football Leaks Espanha Cheque que Neymar deu ao Barcelona para rescindir o seu contrato
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    O Barcelona perdeu Neymar, mas ganhou uma tremenda bolada com a transferência do jogador para o PSG. Um ano após renovar com o brasileiro, o clube viu o atacante preferir deixar a Catalunha em busca de outro projeto esportivo e claro, o dinheiro.

    Mas se você em algum momento sentiu pena do clube catalã, não sinta. O Barcelona “fez de tudo” para manter o brasileiro, mas com certeza não vai achar nada ruim os 222 milhões de euros entrando em sua conta. Mas antes de dizer que esta afirmação é um absurdo, por favor me deixe explica-la primeiro.

    Ao contrário do seu rival Real Madrid, o Barça não vive um momento financeiro confortável. Basta olhar para as recentes movimentações do clube para notar perceber isso. Após renovar com alguns vários jogadores do elenco ao longo da última temporada, o Barcelona deixou Lionel Messi por último, mesmo o com o vínculo do atacante e maior jogador da história do clube vencendo em junho de 2018, o que deixava ele livre para negociar com qualquer outra equipe a partir de janeiro. Mas claro, tudo não passou de uma estratégia, arriscada, mas bem planejada.

    A certeza de que o argentino formado nas suas categorias de base iria aceitar os termos era tanta que o presidente Josep Maria Bartomeu resolveu primeiro assegurar que a equipe continuaria com sua base nos próximos anos, acertando a renovação de jogadores como Busquets, Mascherano, Rakitic, Neymar e Suárez. Com tantos contratos refeitos, o clube catalão ficou com o orçamento apertado na temporada 2016-17 e estendeu as conversas com Messi, renovando com o argentino somente em julho, justamente na virada da temporada 2016-17 para 2017-18, evitando sofrer sanções por descumprir regras do Fair Play Financeiro.

    A situação por si só já deixa claro que o clube não passa por um momento financeiro tão bom como de outrora quando tirou Suárez do Liverpool ou Neymar do Santos por grandes quantias de dinheiro. A chegada do uruguaio, inclusive, foi o último grande negócio feito pelo clube blaugrana, após o Mundial de 2014. As recentes contratações foram tão frágeis que o clube foi duramente criticado na última temporada pelos nomes que trouxe que não ajudaram em nada a equipe.

    No entanto, a vitória do Real Madrid na Champions League e no Campeonato Espanhol, deixando o Barça apenas com a Copa do Rei, aumentou a pressão para a chegada de novos reforços de renome, principalmente para o meio campo e a lateral-direita, principais carências da equipe. Logo no início da janela de transferências o clube foi para o mercado, especulou, especulou, mas até o momento trouxe somente Nelsón Semedo para a lateral e recontratou o atacante Deulofeu, junto ao Everton. Dois jovens jogadores, mas longe dos renomados que a torcida esperava para sanar os problemas da equipe.

    Desde que a janela de transferências foi aberta na Europa, a imprensa catalã colocou vários jogadores como alvos do clube como Coutinho, Paulinho, Verratti, Dybala, Dembélé e Bellerín. No entanto, em todas as negociações o clube culé falhou e sempre pelo mesmo motivo: dinheiro.

    Antes do início da “novela Neymar”, as negociações de Coutinho, Paulinho, Verratti e Bellerín se arrastaram por semanas, com o Barcelona sendo vencido pelas “altas” pedidas dos clubes destes jogadores. O Barça se recusou até a pagar o valor da rescisão de Paulinho, considerada baixa para os padrões de hoje no futebol - 40 milhões de euros.

    O mercado de transferências para o Barça vinha sendo um desastre até aqui e para muitos a saída de Neymar apenas piora a atual situação da equipe culé. No entanto, os 222 milhões de euros que entrarão na conta do time e os 16 milhões de euros de salário que o clube deixará de pagar para Neymar por temporada trará um grande alívio para o Barcelona que com o montante recebido poderá investir em pelo menos dois jogadores de renome.

    Além disso, nesta sexta-feira, um dia após o brasileiro assinar a sua rescisão, a diretoria culé confirmou que pagamento dos 26 milhões de euros de bônus, referentes a renovação de Neymar, não serão pagos ao jogador (no contrato o pagamento deveria ter sido feito até o dia 31 de julho e pode ter sido o motivo da demora para o acerto de Neymar com o PSG), evitando gastar mais uma bolada que poderá ser reutilizada pelo time catalão.

    Se na mídia o Barça “se fez de difícil” e ao menos aparentou se esforçar para segurar Neymar, o cheque recebido na última quinta-feira com a assinatura do PSG fez o presidente do Barça, Josep Maria Bartomeu, sorrir e respirar aliviado.

    Alterado: Sexta, 04 Agosto 2017 22:47

    Relacionadas