O que explica a irregularidade do Cruzeiro? - OChute }

O que explica a irregularidade do Cruzeiro?

por   em Editorial
  • Equipe comandada pelo técnico Mano Menezes alterna momentos de excelente futebol e "apagões" em campo. Depois de ótimo início de temporada, desempenho é instável

    Destaque Raposa segue patinando em 2017 Divulgação / Cruzeiro Raposa segue patinando em 2017
    Gostou: avalie
    (1 Voto)
    Publicidade

    Após um primeiro tempo quase perfeito contra o Palmeiras, em São Paulo, o Cruzeiro viu o adversário se recuperar fazer três gols em 20 minutos, empatando o confronto, válido pelas quartas de final da Copa do Brasil. O time do técnico Mano Menezes apresentou grande futebol na primeira parte do duelo, trocando passes com qualidade e sendo cirúrgico na chegada ao ataque. Depois disso, acumulou falhas e acabou com um resultado considerado frustrante, dadas as circunstâncias.

    Contra o Atlético-MG, no clássico do última domingo, a Raposa fez um bom início de jogo e saiu na frente no placar com gol do meia Thiago Neves. No entanto, a equipe celeste caiu de produção e acabou levando a virada. Erros de marcação permitiram três gols do Galo.

    "O Cruzeiro fez 25 minutos muito bem jogados. Marcou o seu gol, saiu na frente em um jogo grande e criou dificuldades para o Atlético armar as jogadas. Mas a partir de um momento teve dificuldades. A gente começou a não conseguir encaixar mais as jogadas", relatou Mano depois da derrota contra o maior rival.

    Segundo o treinador, houve falta de maturidade da equipe ao fazer a falta que culminou no primeiro gol atleticano. "No finalzinho, uma falta, um gol. E logo depois um descuido que não pode acontecer. Não pode levar dois gols em um jogo grande como esse. Tivemos que voltar para o segundo tempo correndo atrás. Retomamos o jogo novamente, tivemos volume, mas com poucas oportunidades de chegar e converter. Até que o Atlético liquidou o jogo", disse.

    Num dos melhores jogos do Brasileirão até o momento, a atuação do Cruzeiro foi semelhante. O empate em 3 a 3 com o Grêmio, no dia 19 de junho, foi marcado por reviravoltas no placar. Os mineiros, que saíram em desvantagem de dois gols no Mineirão, conseguiram creser na partida e arrancar a igualdade.

    Os momentos de brilho junto aos "apagões" têm feito do Cruzeiro um time de extremos. Com um meio campo recheado de grandes opções (como Arrascaeta, Thiago Neves, Robinho, Hudson, Ariel Cabral e Lucas Silva, por exemplo), os mineiros mostram talento ao mesmo tempo em que parecem vulneráveis. A defesa, que também conta com nomes de respeito (Caicedo, Dedé, Léo e Manoel, além dos goleiros Fábio e Rafael), tem pecado em momentos-chave.

    Conhecido por armar times consistentes a partir da defesa, Mano Menezes vem falhando no quesito com a Raposa. No início da temporada, a equipe celeste conseguiu uma ótima sequência. De lá para cá, mesmo com a chegada de reforços de peso, o desempenho cruzeirense é instável e não inspira confiança no torcedor.

    Criticados pela torcida nos últimos dias, os zagueiros Léo e Caicedo contaram com o apoio do comandante cruzeirense. "Temos que achar o porquê. Não se deve só aos dois. Seria uma injustiça colocar a culpa neles. Sei que o gol passa ali no último momento. Mas perdemos o padrão de se defender. Uma equipe tem que ter padrão. Como ela quer fazer quando o adversário põe uma situação diferente. Começamos a fazer hora de um jeito e hora de outro jeito. Teremos uma semana cheia para recuperar. Certamente isso não vai acontecer mais", assegurou o técnico.

    A torcida celeste espera que as projeções de Mano Menezes se confirmem. Com o elenco de qualidade de possui, o Cruzeiro tem condições de ter uma performance mais eficiente e alçar voos maiores na temporada.

    Relacionadas