A Série A não vale a perda da dignidade de um clube - OChute }

A Série A não vale a perda da dignidade de um clube

por   em Editorial
  • O Inter não merece manchar a sua história por conta de uma manobra jurídica que reverta um possível rebaixamento em campo

    Destaque A Série A não vale a perda da dignidade de um clube Ricardo Duarte/SC Internacional
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    Não há queda de divisão que se compare à perda de dignidade. O Internacional é o atual 17º colocado do Campeonato Brasileiro. O time gaúcho precisa vencer o Fluminense fora de casa e torcer pelo tropeço de Vitória ou Sport na última rodada para conseguir se livrar da degola. A tarefa é difícil!

    Cientes da situação em que se encontra a equipe, a diretoria colorada resolveu procurar outros meios de evitar a disputa da primeira Série B da história do clube e se inspirou no Flu.

    Em 2013, o Fluminense passou pelo mesmo problema, foi, inclusive, rebaixado. Mas se salvou da degola por conta de um caso muito estranho, em que o meia Héverton entrou em campo em uma partida da Portuguesa mesmo estando sem condições de jogo.

    O Tricolor das Laranjeiras resolveu entrar com uma ação no Superior Tribunal de Justiça Desportiva como parte interessada. Apresentou seu caso e se safou da degola.

    É triste ver este tipo de situação acontecer. Um time perder no campo e ganhar na canetada. Se formos analisar, é legal, mas não é justo. Clubes grandes têm medo de jogar a Série B e acabam comprometendo a sua dignidade.

    Inter e Vitória estão na mesma situação. Com 90% de chances de degola, o Colorado quer se safar através de uma decisão na Justiça. O Leão da Barra pode até ter feito um processo errado de transferências no caso do zagueiro Victor Ramos, mas vem jogando mais bola que o concorrente gaúcho e, no campo, ganhou o direito de continuar na elite do futebol nacional.

    Se o STJD for cumprir o que prometeu há alguns meses, os baianos serão mantidos na Série A. Quando houve toda a polêmica de interferência externa na partida entre Fluminense e Flamengo, o presidente do Tribunal, Ronaldo Piacente, disse que o Campeonato Brasileiro seria decidido em campo.

    Naquele caso, o zagueiro Henrique tinha marcado um gol irregular e a arbitragem o validou. Logo depois, fica claro que houve uma interferência para que Sandro Meira Ricci cancelasse a marcação interior e decretasse o placar de 2 a 1 em favor do time rubro-negro. Ou seja, o justo foi mais valorizado que o “legal”.

    Vamos ver até que ponto chega a coerência do STJD. Mas, caso o Inter se mantenha na Série A através de uma decisão do Tribunal, ainda sim, quem merece lugar entre os 20 melhores do país é o Vitória.

    Fica a pergunta: a Série A vale a perda da dignidade de um clube, senhor Fernando Carvalho? Tenho certeza que a torcida colorada diria que não, pois o Inter é tão grande que pode ir para a segunda divisão e voltar ainda mais forte para a elite.

    Relacionadas