Aumento de vagas enfraquece Libertadores - OChute }

Aumento de vagas enfraquece Libertadores

por   em Editorial
  • Futebol brasileiro fica com sete lugares na competição continental, que deve ter decréscimo de nível técnico

    Destaque Futebol brasileiro ganhou mais duas vagas na competição continental Divulgação / Conmebol Futebol brasileiro ganhou mais duas vagas na competição continental
    Gostou: avalie
    (0 votos)
    Publicidade

    A CBF confirmou na noite do último domingo que o Brasil vai ter sete vagas na próxima edição da Copa Libertadores. "Futebol Brasileiro fica com 7 vagas na Libertadores: 6 no Brasileirão e 1 na Copa do Brasil. Vagas já valem para Libertadores 2017. Brasileirão com G6", informou a entidade em anúncio no Twitter. A mudança se deu após reunião da Conmebol em Bogotá em que foi definido o aumento de clubes para a edição de 2017 da competição.

    Assim, a Série A passa a premiar o G6 da tabela de classificação, e não o G4, como era anteriormente. Atualmente, os seis primeiros colocados do Brasileirão são Palmeiras, Flamengo, Atlético-MG, Santos, Fluminense e Atlético-PR. Caso um time termine o campeonato entre os seis primeiros e ainda vença a Copa do Brasil, o Brasileirão pode chegar a ter até um "G7".

    O desempenho técnico recente dos brasileiros não justifica um aumento de vagas, já que o país não participa da final da Libertadores desde 2013. Na prática, o aumento de clubes na competição continental acaba por enfraquecer o torneio em vez de melhorar seu nível. Equipes de aproveitamento menor terão condições de alcançar a competição, antes restrita a um seleto grupo de clubes ocupando as primeiras colocações do nacional.

    Desde o início do Brasileirão por pontos corridos, em 2003, nunca uma equipe se classificou para a Libertadores com campanha pior do que 52% de aproveitamento, índice do Internacional em 2011. Hoje o sexto colocado do nacional, o Atlético-PR, iria para o torneio continental com aproveitamento de 50%.

    A Conmebol adota critérios políticos e financeiros para emplacar mudança. A inclusão de sete brasileiros visa obtenção de mais apoio político e mais dinheiro, já que estudo econômico feito pela entidade indica que torneio pode ganhar projeção com potencial financeiro do Brasil.

    Relacionadas