Boletim médico: Jogadores da Chape seguem com quadros estáveis }

Boletim médico: Jogadores da Chape seguem com quadros estáveis

por   em Notícias

Alan Ruschel não ficou paraplégico, Neto teve de passar por uma cirurgia no tórax e Follmann segue na UTI após amputação da perna

Destaque Boletim médico: Jogadores da Chape seguem com quadros estáveis Reprodução
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Relatórios médicos, divulgados nesta quarta-feira (30), confirmam que lateral-esquerdo Alan Ruschel e o zagueiro Neto, dois dos seis sobreviventes do acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, seguem em condição crítica, mas em um quadro de estável.

Ana María González, diretora médica da Clínica, afirmou que Ruschel não perdeu os movimentos das pernas, apesar da lesão que sofreu na coluna durante o acidente.

"Alan está hospitalizado na unidade de terapia intensiva em estado crítico, mas estável. Passou por cirurgia ontem por uma fratura que tem na coluna vertebral e saiu muito bem da cirurgia. Não tem comprometimento neurológico e mantém a mobilidade de suas pernas", afirmou a diretora a jornalistas.

De acordo com ele, uma delegação de médicos brasileiros esteve com Ruschel e aprovou os procedimentos feitos no jogador pelos especialistas da Colômbia.

Sobre Ximena Suárez e Erwin Tumirik, integrantes da tripulação da aeronave que também sobreviveram à tragédia, a diretora da Clínica Somer de Ríonegro informou que ambos estão em "boas condições em termos gerais e muito estáveis".

O zagueiro Neto, por sua vez, está em uma situação mais delicada. Ele passou por cirurgias para corrigir um problema no tórax e várias lesões na cabeça.

"Hélio está estável, mas a condição é crítica. Sofre de uma coagulopatia (o sangue não coagula corretamente) e estamos realizando transfusões sanguíneas", disse o diretor médico da Clínica San Juan de Dios de La Ceja, Luis Fernando Rodríguez.

O jornalista brasileiro Rafael Henzel, da Rádio Oeste FM, permanece "estável e sedado" depois de passar por cirurgia no tórax.

O goleiro Jackson Follmann, que está no Hospital San Vicente Fundación, segue sendo mantido na UTI após passar pela amputação de uma das pernas.

"Como comunicamos ontem, tivemos que amputar a perna direita de Jackson pela gravidade das lesões. A perna esquerda, da mesma forma que o quadro geral do paciente, é de acompanhamento para evolução de expectativa nessa fase de estabilização que ele se encontra", disse o diretor do hospital, Ferney Rodríguez.

Alterado: Quarta, 30 Novembro 2016 17:54

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook