Leitura labial prova irregularidade na arbitragem do Fla-Flu }

Leitura labial prova irregularidade na arbitragem do Fla-Flu

por   em Notícias

Reportagem do "Esporte Espetacular" mostra o inspetor Sérgio Santos falando para árbitro que o gol de empate do Flu foi irregular

Destaque Leitura labial prova irregularidade na arbitragem do Fla-Flu Divulgação / Fluminense
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

A polêmica do Fla-Flu da última quinta-feira (13), pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro segue ganhando elementos. Neste domingo (16), o programa “Esporte Espetacular”, da Globo, exibiu uma reportagem em que realiza a famosa leitura labial durante a confusão na partida, iniciada após o gol de Henrique, aos 39 minutos do segundo tempo. Foram 13 minutos de paralização até que o árbitro Sandro Meira Ricci confirmasse a anulação do empate do Tricolor.

A partida acabou com o placar de 2 a 1 para o Flamengo e o Flu analisa a possibilidade de entrar com uma representação para pedir a anulação do confronto, por conta de uma interferência externa.

A reportagem da TV Globo mostra toda a confusão, com as falas de jogadores, árbitro, assistentes e ainda do inspetor de arbitragem Sérgio Santos, que entrou em campo durante a confusão.

"A TV sabe. A TV sabe que não foi", diz Sérgio Santos ao entrar pela primeira vez no gramado.

Os jogadores do Flamengo já haviam falado repetidamente para Sandro Meira Ricci que "a TV mostrando que estava impedido".

Enquanto isso, Henrique, jogador do Flu que se mostra mais exaltado, olha par ao árbitro e diz: "vai ter que explicar", além de “sacanagem”.

Em momento decisivo das discussões, o bandeirinha Emerson Augusto de Carvalho relata o impedimento. "Presta atenção. Ainda tem gente aqui. Presta atenção. Agora está impedido. Não valeu. Está impedido", diz o auxiliar.

O inspetor Sérgio Santos pede uma decisão "Decide. Dá ou anula. O que você falou?", diz.

Sandro Meira Ricci segue sem mostrar o que fará e questiona o bandeirinha novamente. "Estava ou não impedido"?

A confusão termina com a decisão do árbitro de anular o gol e explicar a situação para os dois capitães das equipes.

Em contato com o site Globoesporte.com, no entanto, Sérgio Santos alegou que a leitura labial estava errada e que ele não passou informação nenhuma a Sandro Meira Ricci.

“Tudo o que eu falei, na verdade, com o árbitro já está com a CBF. Essa leitura está errada. Em momento nenhum eu falei que o gol era inválido. Falei somente que a decisão era do árbitro. Eu realmente não falei isso. Deve ter havido algum engano na leitura, porque eu não falei isso. Até porque não sou ingênuo de falar uma coisa dessas”, explicou.

Felipe Bevilacqua, procurador-geral do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), disse que a entidade está analisando o caso com calma. Ele afirma, no entanto, que não há dúvidas de que o árbitro foi alertado sobre o impedimento de Henrique.

“Estamos analisando tudo com calma. Em tese, esse caso não existe precedente... O fato que alguém falou para o árbitro, não resta dúvida. Mas tem que ser muito bem estudado e analisado. É difícil provar que o árbitro decidiu alguma coisa com essa interferência. O STJD sempre procura preservar o resultado de campo. Todas as circunstâncias que podem alterar o resultado em campo devem ser analisadas. Não pode haver dúvida”, deixou claro, em contato com o Globoesporte.com.

Mídia

Alterado: Domingo, 16 Outubro 2016 14:45

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook