Léo Moura processa o Flamengo por pagamento de horas-extras }

Léo Moura processa o Flamengo por pagamento de horas-extras

por   em Notícias

O jogador cobra depósitos de direito de arena, além de horas extras e adicional noturno pelas concentrações do time antes das partidas

Destaque Léo Moura processa o Flamengo por pagamento de horas-extras Gilvan de Souza / Site oficial do Flamengo
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Léo Moura é o sétimo jogador que mais vestiu a camisa do Flamengo (519 partidas) e ficou dez anos no clube da Gávea. Atualmente jogando no Santa Cruz, o lateral-direito vai reencontrar o time carioca no domingo, pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Porém, a disputa contra o Rubro-Negro não via ser apenas dentro de campo, o ídolo recente entrou na Justiça contra o clube.

O valor mínimo que o autor da ação pretende é de R$ 300 mil, embora a quantia esteja indefinida. O jogador cobra depósitos de direito de arena no período entre 2011 e 2015, além de horas extras e adicional noturno pelas concentrações do time antes das partidas.

Os representantes de Léo querem o pagamento de 40 horas extras em jogos do Flamengo como visitante e outras 20 horas extras na condição de mandante. Estão sendo contestadas horas noturnas e o descanso semanal remunerado.

A atitude de Léo Moura foi recebida com total desaprovação da diretoria do Flamengo. O lateral-direito ganhou até um jogo de despedida, em 4 de março de 2015, quando 30 mil torcedores foram ao Maracanã aplaudi-lo na vitória por 2 a 0 sobre o Nacional-URU.

Pelo lado do Fla, há o entendimento de que o jogador recebeu todas as verbas trabalhistas referentes ao período em que vestiu a camisa do clube, uma vez que o Rubro-Negro repassa regularmente o percentual de direito de arena ao SAFERJ (Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro).

"Todas as rescisões são feitas de forma correta para evitar o crescimento do passivo trabalhista no Flamengo. Pagamos tudo o que o funcionário tem direito. Não foi diferente no caso do Léo Moura. O clube vai se defender em juízo no momento adequado. Os pleitos não têm a ver com as verbas trabalhistas propriamente ditas. Cada um é livre para tirar a sua conclusão", explicou o vice-presidente de procuradoria geral, Flávio Willeman.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook