Áudios falsos geram preocupação no Grêmio }

Áudios falsos geram preocupação no Grêmio

por   em Notícias

Ex-técnico do clube Roger Machado e jogadores são vítimas de material com declarações atribuídas ao treinador

Destaque Roger foi uma das vítimas dos falsos áudios Divulgação / Grêmio Roger foi uma das vítimas dos falsos áudios
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Desde a saída de Roger Machado do Grêmio, em 14 de setembro, uma série de áudios viralizaram em grupos de Whatsapp. Com imitações do treinador, citam problemas internos do clube que jamais existiram. Nas últimas semanas, novamente um suposto áudio vazado citou os atacantes Miller Bolaños e Luan. O treinador e o atacante brasileiro cogitam procurar a polícia.

São dois áudios falsos de Roger Machado. O mais antigo relatava que o atacante Luan estaria tendo relações com sua filha. As filhas de Roger têm 11 a 8 anos de idade. O segundo áudio critica o comportamento dos campeões olímpicos Luan e Walace. "Pedi para sair porque não tinha mais ambiente. Não bastava aqueles dois piás de m... que voltaram da seleção com uma medalha e esfregando na cara de todo mundo que eles tinham título, antes do jogo ainda peguei dois fazendo o que não deviam dentro do hotel", diz o material.

O estafe de Roger afirmou que ele ficou muito irritado com os áudios. O treinador e a mulher buscaram de descobrir quem estava por trás das imitações para entrar com um processo na Justiça. No entanto, não houve sucesso pela falta de rastro dos áudios. Uma ida à polícia para tentar uma punição para o responsável não está descartada.

Luan e seu estafe devem se reunir no retorno da delegação a Porto Alegre depois da partida contra o Vitória, na quarta-feira, para definir as providências a serem tomadas.

"Isso é um absurdo. Não prejudica a imagem do jogador, porque ninguém mais é bobo. Ninguém acredita nisso. Mas o que fica é surpreendente. Que um homem e uma mulher percam seu tempo para fazer isso", afirmou o agente de Luan, Jair Peixoto. "Até o presente momento não fizemos nada. Mas existe uma delegacia especializada nisso e vamos conversar. Se o Luan entender assim, vamos procurar, sim", concluiu.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook