Proposta de final em campo neutro não agrada e pode ficar só no papel }

Proposta de final em campo neutro não agrada e pode ficar só no papel

por   em Notícias

Dirigentes da Conmebol ficam divididos em relação ao tema e decisão fica para reunião no próximo domingo em Bogotá

Destaque Proposta de final em campo neutro não agrada e pode ficar só no papel Reprodução/Conmebol
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

As mudanças da Conmebol na Libertadores a partir de 2017 estão dando o que falar. No entanto, apesar da maioria das alterações repercutirem de forma positiva uma delas não vem agradando todos os dirigentes: a final disputada em jogo único e campo neutro. 

Dividida, a entidade irá debater a questão em uma reunião que será realizada no próximo domingo, em Bogotá, na Colômbia. As principais dúvidas estão relacionadas a logística e a falta de cultura local. Um dos exemplos dados foi a decisão deste ano entre Atlético Nacional-COL e Independiente del Valle-EQU e o seu possível atrativo em campo neutro.

Segundo o presidente da entidade a proposta da final em jogo único, realizado no sábado e em campo neutro, surgiu a partir de relatório que considerou a parte comercial e também técnica. 

"Analisando estatística de finais da Libertadores, o (time) local no segundo jogo ganhou 7 em 10. Justiça esportiva exige final única em campo neutro", afirmou o Dominguez, através de sua conta no Twitter.

A expectativa é que as mudanças gerem um aumento de receita anual de mais de 25% para os clubes.

"Não entramos em detalhes de valores. A expectativa é bem ambiciosa, em relação ao pleito dos clubes. A Conmebol tem um projeto muito ambicioso de aumento de valores na Libertadores e na Sul-americana no próximo ano. A gente acabava que tinha que optar, tínhamos essa distorção. A Sul-Americana vai ter os clubes eliminados da Libertadores", comentou o diretor de competições da CBF, Manoel Flores, em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

 

As mudanças da Conmebol na Libertadores a partir de 2017 estão dando o que falar. No entanto, apesar da maioria das alterações repercutirem de forma positiva uma delas não vem agradando todos os dirigentes: a final disputada em jogo único e campo neutro.

Dividida, a entidade irá debater a questão em uma reunião que será realizada no próximo domingo, em Bogotá, na Colômbia. As principais dúvidas estão relacionadas a logística e a falta de cultura local. Um dos exemplos dados foi a decisão deste ano entre Atlético Nacional-COL e Independiente del Valle-EQU e o seu possível atrativo em campo neutro.

Segundo o presidente da entidade a proposta da final em jogo único, realizado no sábado e em campo neutro, surgiu a partir de relatório que considerou a parte comercial e também técnica.

"Analisando estatística de finais da Libertadores, o (time) local no segundo jogo ganhou 7 em 10. Justiça esportiva exige final única em campo neutro", afirmou o Dominguez, através de sua conta no Twitter.

A expectativa é que as mudanças gerem um aumento de receita anual de mais de 25% para os clubes.

"Não entramos em detalhes de valores. A expectativa é bem ambiciosa, em relação ao pleito dos clubes. A Conmebol tem um projeto muito ambicioso de aumento de valores na Libertadores e na Sul-americana no próximo ano. A gente acabava que tinha que optar, tínhamos essa distorção. A Sul-Americana vai ter os clubes eliminados da Libertadores", comentou o diretor de competições da CBF, Manoel Flores, em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

 

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook