Game Over: Polícia identifica chefes da máfia de resultados }

Game Over: Polícia identifica chefes da máfia de resultados

por   em Notícias

Dois malaios foram seriam os cabeças do esquema de manipulação de resultados no Brasil para beneficiar um grupo de apostas da Ásia

Destaque Game Over: Polícia identifica chefes da máfia de resultados Reprodução
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

A Polícia Civil de São Paulo conseguiu identificar dois malaios suspeitos de negociar o esquema de manipulação de resultados em campeonatos de futebol do Brasil para beneficiar um grupo criminoso de apostas da Ásia. A investigação faz parte da Operação Game Over, deflagrada em janeiro deste ano.

As informações foram obtidas graças a delação premiada do ex-jogador Márcio Souza, de 36 anos. Jawahir Saliman, de 40 anos, conhecido como “Mister Sam” ou “Sammy”, seria o responsável máximo pelo esquema no Brasil e trabalhava ao lado de Zulfika Bin Mohd Sultan, seu assistente de 38 anos.

A Delegacia de Polícia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva (Drade) descobriu que a dupla esteve em Nova Iguaçu (RJ), em fevereiro, para se encontrar com o principal articulador brasileiro do esquema, Anderson Rodrigues, de 41 anos, e com um dirigente de uma das equipes que participam da primeira divisão do Campeonato Carioca.

Márcio Souza trabalhava como braço direito de Rodrigues até julho deste ano, quando acabou sendo preso ao lado de mais oito pessoas pela Operação Game Over. Onze mandados de prisão tinham sido emitidos, mas dois não foram cumpridos.

Após se encontrarem com os dirigentes dos clubes, Saliman e Sultan apostavam nas partidas acertadas e multiplicavam seus rendimentos. Os dois malaios são os primeiros investigados estrangeiros e a polícia ainda apura se há outras pessoas envolvidas fora do Brasil.

Em um primeiro momento, o indiciamento da dupla no Brasil não é tratada como prioridade, uma vez que é muito difícil de encontrá-los fora do país, conseguir a extradição e julgá-los pelos crimes cometidos aqui. No entanto, Polícia Civil já entrou com um pedido de colaboração com a Interpol para aprofundar as investigações a respeito de Saliman e Sultan no exterior e colocá-los na lista de procurados.

Anderson Rodrigues, o cabeça brasileiro do esquema, tem mandado de prisão emitido desde julho e é considerado foragido. A Polícia acredita que ele tem viajado pelo interior de São Paulo e Paraná, tentando manter o esquema de manipulação de resultados.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook