WTorre proíbe seguranças do Palmeiras nos camarotes do Allianz Parque }

WTorre proíbe seguranças do Palmeiras nos camarotes do Allianz Parque

por   em Notícias

A administradora do estádio enviou uma carta de repúdio ao comportamento de Paulo Nobre na última quarta-feira (14)

Destaque WTorre proíbe seguranças do Palmeiras nos camarotes do Allianz Parque Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Toda a confusão envolvendo o presidente do Palmeiras nos camarotes do Allianz Parque durante o empate do Verdão com o Flamengo, na última quarta-feira (14), ainda está repercutindo. Nesta sexta, a Real Arenas, empresa criada pela WTorre para gerenciar o estádio, declarou que não vai liberar a atuação de seguranças do clube no local.

"A Real Arenas informa que não mais admitirá que os supostos seguranças contratados por SEP, para atuarem exclusivamente na proteção do camarote que lhe é disponibilizado pela notificante, exerçam sua atividade como agentes ou mandatários de seus dirigentes na área comum da Arena sob gestão da superficiária e, muito menos, no espaço privado destinado aos cessionários dos camarotes", disse em carta destinada ao clube - o documento foi assinado pelos advogados da WTorre.

Na quinta, o Palmeiras havia rebatido as alegações feitas pela WTorre, que chegou a dar um ultimato ao reclamar da postura do presidente Paulo Nobre. O presidente do clube solicitou a retirada de um dos torcedores do Flamengo que estava em um camarote corporativo.

"A WTorre não tem o direito, contratual ou legal, de interferir ou opinar em questões de segurança que envolvem a realização das partidas do Palmeiras. A parte que lhe cabe nos jogos é somente a comercialização dos camarotes do Allianz Parque. A incumbência da organização, nos termos da legislação esportiva, é do clube", afirmou o clube.

Depois de toda a confusão, a construtora apresentou uma carta formal a Paulo Nobre contra uma "postura absolutamente truculenta".

Confira trechos do documento:

"O ato narrado choca por duas razões principais: (i) lembra o que há de pior no futebol, incitando a violência entre clubes rivais, em especial entre torcedores de dois time que hoje brigam pela ponta do campeonato e; (ii) prejudica fortemente a imagem do Allianz Parque, que estampou os meios de comunicação hoje não pelo espetáculo que fizeram Palmeiras e Flamengo, na acirrada disputa pelo título nacional, mas pelo fato de os seguranças brutamontes do clube terem expulsado torcedor rival que apenas comemorou o gol do adversário, no camarote de um patrocinador da Arena", diz trecho da carta.

"Tal conduta é, importante relatar aqui, incompatítvel com a civilidade que se espera dos dirigentes da SEP, configurando atitude antidesportiva que, inclusive, prejudica a exploração comercial dos camarotes, na medida em que expõe negativamente a imagem da Arena e de seus gestores, levando constrangimento às pessoas que prestigiaram o evento e, diuturnamente, frenquentam o Allianz Parque".

"Nesse passo, releva salientar que a Real Arenas [administradora do estádio], conquanto não fosse obrigada contratualmente a fazê-lo, tem concedido à SEP, por gentileza e em ato de cortesia, camarote no melhor lugar da Arena, desde a sua abertura, e em detrimento dos seus próprios ganhos. Não é justo que, em contrapartida, tenha sua imagem arranhada por episódio triste e vergonhoso como que este que acima se narrou, incompatível com o ambiente corporativo e festivo dos camarotes que a notificante tanto se empenha em comercializar".

"Assim, a Real Arenas informa V.Sas. que não mais admitirá que os supostos seguranças contratados por SEP, para atuarem exclusivamente na proteção do camarote que lhe é disponibilizado pela notificante, exerçam sua atividade como agentes ou mandatários de seus dirigentes na área comum da Arena sob gestão da superficiária e, muito menos, no espaço privado destinado aos cessionários dos camarotes".

"Por fim, a Real Arenas insta V.Sas. a, no improrrogável prazo de 5 dias, informar quais medidas serão adotadas para que episódios como ocorrido ontem não mais se repitam, sob pena de a notificante realocar o camarote de SEP para outro local, tal como permite a Escritura de Cessão de Direitos de Surperfície, visando única e exclusivamente a garantir a segurança de todos os espectadores que comparecem aos jogos, em especial aos frequentadores dos camarotes", diz trecho final da carta.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook