Jovem árbitro espanhol que assumiu ser gay recebe ameaças de morte }

Jovem árbitro espanhol que assumiu ser gay recebe ameaças de morte

por   em Notícias

Jesús Tomillero tem apenas 21 anos, mas decidiu pela segunda vez na carreira se afastar da sua profissão por preconceito e ameaças

Destaque Jovem árbitro espanhol que assumiu ser gay recebe ameaças de morte Reprodução/Facebook
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Mais um episódio de preconceito no futebol. O árbitro espanhol de apenas 21 anos, Jesús Tomillero irá abandonar o esporte pela segunda vez na sua carreira. Tomillero vem recebendo ameaças de morte por denunciar as diversas ofensas homofóbicas que vem recebendo nas últimas semanas.

No inicio do ano, o árbitro assumiu publicamente ser homossexual e após ser insultado por torcedores em várias oportunidades acabou decidindo se afastar dos gramados.

Tomillero ficou quatro meses sem apitar, mas decidiu retornar para não se render aos agressores. Porém logo na sua primeira partida voltou a sofrer insultos após marcar uma penalidade em uma partida entre times sub-14 de uma liga local da Andaluzia. O agressor foi retirado, mas após o pênalti ser cobrado e desperdiçado o árbitro voltou a ser atacado e suspendeu a partida.

Para surpresa de Tomillero, além das ofensas da torcida, ele também foi ameaçado profissionalmente por um homem da federação. "Um homem se apresentou dizendo ser da federação e exigindo que eu continuasse o jogo, ameaçando que se não fizesse isso eu seria suspenso", relatou ao jornal “El Confidencial”.

Procurando uma maneira de expor o problema vivido, Jesús Tomillero resolveu compartilhar a triste situação nas redes sociais para mostrar ao público o que estava acontecendo. Depois disso, em entrevista a uma rádio espanhola, afirmou que estava apresentando denúncia à polícia. Mas a entrevista teve efeito reverso e Tomillero passou a receber ameaças de morte.

"Fiz a denúncia e começaram a chegar ameaças de morte pelo Twitter, dizendo que se eu continuar apitando vão cortar minha perna ou me matar", revelou o árbitro. "Não paro de chorar. Sinto uma pontada no meu peito e não sei o que fazer".

Sem alternativa e proteção da federação, a única saída encontrada por Jesús Tomillero foi se afastar novamente do futebol.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook