Precisamos de uma Lava Jato exclusiva para o futebol! }

Precisamos de uma Lava Jato exclusiva para o futebol!

por   em Editorial

Escândalos de corrupção rondam o futebol há tempos. Presidente da CPI do Futebol, Romário é, de novo, a esperança do país.

Destaque Precisamos de uma Lava Jato exclusiva para o futebol! Roque de Sá/Agência Senado
Gostou: avalie
(1 Voto)
Precisamos de uma Lava Jato exclusiva para o futebol! - 5.0 out of 5 based on 1 vote
Publicidade

No meio de tantas manifestações e protestos que se espalham Brasil afora, alguns contra e outros a favor do Governo Federal, não é surpresa que o brasileiro se engajasse de alguma forma. Muitos dizem que isso é só porque o povo do Brasil não perde uma oportunidade de “fazer fervo” e de sair pra rua.

Ainda não temos um engajamento político firme e forte como visto em outros países latino americanos, como a Argentina e o Chile, mas a realidade é que estamos mudando. Hoje podemos dizer que o brasileiro está um pouco mais politizado, entendendo decisões e emitindo opiniões. Muitos ainda se deixam levar por informações que não são verídicas, porém é salutar que se interessem mais pelo assunto.

E com tantos escândalos de corrupção, já era esperado que denúncias chegassem, ligando os fatos ao futebol. Nas últimas fases da Operação Lava Jato, foram citadas denúncias de repasse de verbas da Odebrecht a diretores do Corinthians, na época da construção de sua Arena. Não será surpresa se mais estádios aparecerem nas próximas delações.

Apesar da força tarefa da Polícia Federal investigar os fatos ligados ao futebol apenas agora, não é de hoje que sabemos que a maior paixão nacional é corrompida. Existem denúncias, algumas comprovadas, de vendas irregulares de jogadores, de manipulação de resultados e, até mesmo, de compra de lugares nas convocações da Seleção Brasileira.

A CBF já não inspira mais credibilidade. Com alguns ex-presidentes envolvidos em denúncias e outro ex-presidente preso, nos EUA, o torcedor já não enxerga mais a Seleção com a paixão cega de outrora. Prova disso é o atual desprestígio que o selecionado brasileiro enfrenta. Os resultados ruins das últimas competições também ajudam nisso, mas não podem ser vistos como únicos responsáveis. A realidade é que quando a confiança em uma instituição é quebrada, leva-se muito tempo para reconstruir, quando há reconstrução.

A CBF tem que parar de tentar agradar seus patrocinadores. Também tem que parar de agradar presidentes de federações “menores”, em troca do apoio nas eleições da entidade. É chegada a hora de a CBF jogar para a torcida, escutar os apaixonados pelo esporte, chamar os atletas certos, não se curvar a interesses de empresários.

Assim como a CBF precisa de uma reforma, nossas federações estaduais também precisam urgente, modificar as coisas. Acabam punindo clubes tradicionais e com retorno de público em troca de participações em campeonatos estaduais falidos e com fórmulas obsoletas.

É necessário que a forma de eleição mude, tanto nas federações, quanto na CBF. Que os principais clubes do país sejam ouvidos e tenham mais participação nas decisões, afinal, são os clubes que fazem a engrenagem girar. Não dá pra fazer uma defesa total em relação aos clubes também, sabemos que muitos têm negócios escusos e dirigentes espúrios, mas é importante que eles possam se associar e ditarem as regras, assim como foi feito na Inglaterra. Deixem que a CBF cuide apenas de assuntos relacionados à seleção e abra mão de organizar um campeonato.

É preciso que mais denúncias apareçam e que mais dirigentes sejam punidos. Sabemos que os escândalos que apareceram até agora são apenas a ponta do iceberg. Sabemos que tem muita coisa escondida ainda. Por isso é primordial que a CPI do Futebol revele a corrupção encalacrada na CBF, na FIFA, nas federações.

Esperamos que o baixinho Romário, que tantas alegrias nos trouxe no campo, jogue um bolão também no Congresso!

Alterado: Terça, 22 Março 2016 18:05

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook