Os intocáveis dirigentes brasileiros }

Os intocáveis dirigentes brasileiros

por   em Editorial

Presidente da CBF começa a colecionar acusações em pouco mais de um ano de mandato na CBF, mas se mantém intocável no Brasil

Destaque Os intocáveis dirigentes brasileiros Wikimedia
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

O presidente que não viaja, Marco Polo Del Nero, voltou a ser notícia nesta semana na mídia brasileira. E o presidente da CBF viu o seu nome ser envolvido em mais problemas. No inicio da semana, o jornal “Folha de São Paulo” afirmou que o FBI compartilhou informações com a Polícia Federal Brasileira de que o dirigente manteve uma conta nos EUA por 13 anos.

Antes de fechar esta conta em 2011, o dirigente teria transferido todo o seu dinheiro para uma conta da Danford Corporate Services INC, um fundo de investimento privado com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal.

Ou seja, Marco Polo del Nero teria mentido para na CPI do futebol no final do ano passado ao afirmar que nunca teve contas no exterior. Para piorar a situação, dias depois, investigações apontaram que Del Nero teria sonegado impostos perante a Receita Federal. O dirigente declarou as contas que mantinha no exterior, mas continua afirmando que fez tudo dentro das leis.

Na última quarta-feira, a CPI do Futebol apresentou um relatório alternativo da comissão, pedindo o indiciamento de antigos e atuais dirigentes da CBF. Entre os citados estão o atual presidente da entidade, Marco Polo Del Nero, e seus antecessores José Maria Marin e Ricardo Teixeira.

Se juntarmos todas as investigações e pedidos de indiciamento, Del Nero poderia ser acusado de: fazer parte de um esquema de recebimento de propina na venda de direitos comerciais de torneios no Brasil e no exterior; sonegação fiscal e lavagem de dinheiro; estelionato; crime contra a ordem tributária; crime contra o Sistema Financeiro Nacional; lavagem de dinheiro; e organização criminosa.

No entanto, o presidente da CBF parece ter o tal foro privilegiado, assim como nossos digníssimos políticos, e sabendo disso não teve dúvidas ao voltar correndo para o Brasil logo quando José Maria Marin foi preso na Suíça, em maio do ano passado.

Intocável no Brasil, Del Nero tenta seguir os mesmos passos de Ricardo Teixeira que conseguiu afastar o seu nome de diversas investigações (CPI da Nike, escândalo da ISL, desvio de dinheiro público no amistoso contra Portugal em Brasília, entre muitos outros) e hoje vive no luxo, recebendo uma mesada considerável da CBF.

Por incrível que parece, as provas adquiridas pela policia americana podem ser descartadas, jogadas no lixo, pela justiça brasileira. A justiça brasileira que não tem politica de extradição podem também considerar invalidas as provas adquiridas pelo FBI. Ou seja, o presidente que não viaja é livre dentro do país onde praticou inúmeras ilegalidades, mas será preso imediatamente caso coloque um pé fora do Brasil.

Enquanto isso, o intocável continua no comando da CBF, sem dar entrevistas, sem sair do país e sem fazer nada para o crescimento do esporte no Brasil.

Alterado: Sábado, 26 Novembro 2016 10:35

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook