O Grêmio sofre com a falta de bom senso do STJD }

O Grêmio sofre com a falta de bom senso do STJD

por   em Editorial

Carol Portaluppi em nada atrapalhou a semifinal da Copa do Brasil e, mesmo assim, causou a perda de um mando de campo ao Tricolor

Destaque O Grêmio sofre com a falta de bom senso do STJD Divulgação/Grêmio
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva não cansa de surpreender qualquer pessoa que tenha bom senso e goste de futebol. A singela “invasão” de campo da filha do treinador Renato Gaúcho, Carol Portaluppi, ao gramado da Arena, em Porto Alegre, na segunda partida da semifinal da Copa do Brasil, diante do Cruzeiro, foi punida, em julgamento realizado na quarta-feira (16), com uma multa de R$ 30 mil e a perda de um mando de campo.

Ou seja, uma situação que não interferiu em nada na partida que classificou o Tricolor Imortal para a decisão contra o Atlético-MG fará com que o time perca a maior vantagem que tem sobre o adversário: o mando de campo no jogo de volta da final, marcado para o dia 30.

"Por unanimidade dos votos, os auditores determinaram baixa dos autos para analisar conduta do treinador Renato Gaúcho e, por maioria, aplicar multa de R$ 30 mil e perda de um mando de campo ao Grêmio por infração ao artigo 213, inciso II, parágrafo 1º. A decisão cabe recurso com pedido de efeito suspensivo", relatou a corte.

Carol acompanhava a partida contra o Cruzeiro do túnel misto da Arena e foi chamada por seu pai para adentrar ao campo e ficar sentada no banco de reservas pouco antes do apito final. Essa foi a “transgressão” da dupla. Logo depois de o árbitro Francisco Neto finalizar a partida, a menina comemorou de maneira efusiva com o seu pai no gramado.

É difícil imaginar que uma decisão estapafúrdia como esta seja mantida até o dia da final. Provavelmente o Grêmio usará de meios legais para anulá-la, mas só de ver o que o STJD pode fazer com o futebol brasileiro é assustador.

Uma instituição séria e que tem um impacto tão grande não pode se dar o direito de tomar atitudes como essa. É lógico que o certo era que Carol esperasse até o final do jogo para entrar no gramado, mas então que se aplique apenas a multa, o que está de bom tamanho devido à proporção do episódio.

Fica claro que ainda temos muito o que aprender sobre futebol. Enquanto os clubes continuarem deixando a organização dos torneios nas mãos da CBF, ainda haverá desorganização e jurisdição para que o STJD continue a pregar suas peças.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook