Estamos cansados de falar sobre arbitragem }

Estamos cansados de falar sobre arbitragem

por   em Editorial

O Campeonato Brasileiro vai chegando ao fim e o número de reclamações só aumenta, mas nada é feito para solucionar o problema

Destaque Estamos cansados de falar sobre arbitragem Wikipedia
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

A discussão sobre a arbitragem no Campeonato Brasileiro está cansativa. Entra rodada e sai rodada e as equipes seguem reclamando do mesmo problema: estão sendo prejudicados pelo fraco desempenho da arbitragem.

A reclamação começa antes mesmo das partidas, nas escalações do trio de arbitragem, continuam no campo com os jogadores criticando o árbitro em todos os lances do jogo, pedindo cartão e termina com os dirigentes do mais alto escalão dos clubes concedendo entrevistas coletivas após os jogos, já que jogadores e treinadores podem ser punidos pelo STJD por comentários referentes a arbitragem.

O ciclo é repetido a cada rodada. Um grande circo é montado para mostrar aos torcedores que os resultados não obtidos dentro de campo se devem aos árbitros. Por isso, ofícios são enviados a CBF com vídeos mostrando os “erros absurdos” contra a sua equipe, “tentando” evitar erros futuros contra a sua equipe.

Sim, a arbitragem no Brasil deixa muito a desejar. O problema não é de hoje e pouco se fez até aqui para ele ser solucionado. Mas nós não podemos nos esquecer da falta de estrutura e de preparação adequada a estes profissionais que são muito mais cobrados do que deveriam.

A única saída hoje seria a profissionalização da arbitragem. Algo que infelizmente parece estar longe de acontecer já que não é de interesse nem da CBF, muito menos dos clubes.

A situação está cômoda para quase todos os envolvidos, menos para os árbitros que dentro de campo são os que recebem o menor salário, mas são os mais cobrados.

Para a CBF o problema é resolvido quando o profissional que cometeu o erro é colocado na geladeira por um tempo e obrigado a fazer a famosa “reciclagem”. Para os clubes, os erros dos árbitros podem servir de muleta para se livrar da má exibição da sua equipe. Assim, a reclamação em cima do profissional do apito desvia o foco e mostra para o torcedor que o clube está trabalhando para que os problemas sejam resolvidos.

No entanto, as últimas ações dos dirigentes dos clubes brasileiros em nada ajudam a resolver a o problema. Muito pelo contrário, só piora e aumenta a pressão em cima dos mesmos profissionais que já entram em campo prontos para receber bombardeios de todos os lados.

Mas se o motivo da reclamação de todos é o mesmo porque não se juntar e exigir da CBF medidas sérias, como acelerar a implementação do vídeo-árbitro e até mesmo a profissionalização da classe no Brasil?

Se todos se sentem prejudicados a melhor maneira de resolver a questão é se unir e aproveitar o momento de fragilidade da CBF com os últimos escândalos para avançar no desenvolvimento do esporte no país.

O Campeonato Brasileiro vai chegando à sua reta final e a disputa em campo neste momento é muito importante. Qualquer tropeço das equipes do topo da tabela pode ser fatal. Por isso, a concentração dos jogadores e da comissão técnica não pode estar voltada para qualquer questão relacionada ao apito.

O momento é de total concentração ao jogo, por isso, mais futebol e menos reclamações!

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook