A instabilidade dos artilheiros do Brasileirão }

A instabilidade dos artilheiros do Brasileirão

por   em Editorial

Atacantes mostram instabilidade ao longo do Brasileirão e apesar de uma média de gols considerável, ninguém conseguii despontar na artilharia

Destaque A instabilidade dos artilheiros do Brasileirão Reprodução/Site CAM
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

O Brasileirão segue a todo o vapor e vai chegando perto da reta final. Por isso, tanto a decisão do título quanto dos clubes que ficarão no G4, além dos clubes rebaixados pode ser decidida no detalhe. E nada mais importante que chegar ao fim do torneio e estar com seus atacantes em boa fase, prontos para ajudar a sua equipe no momento mais difícil da competição.

Até a 26ª rodada do Campeonato Brasileiro foram disputados 260 jogos e marcados 650 gols. Com uma média de 2,5 gols por partida, o Brasileirão 2016 tem até o momento a melhor média dos últimos cinco anos.

Porém, apesar da quantidade de gols ter aumentado um pouco em relação aos últimos anos, a artilharia continua acirrada mas por baixo, sem um grande atacante despontando neste quesito.

Essa falta de artilheiros mostra a instabilidade dos nossos jogadores ao longo do campeonato e também a carência de homens goleadores nas equipes.

Quem não se lembra do excelente inicio de campeonato do experiente Grafite no Santa Cruz? Os quatro gols nos primeiros dois jogos criaram uma expectativa enorme. Entretanto,o atacante caiu de produção e levou junto o tricolor pernambucano que hoje briga na parte inferior da tabela.

Outro atacante que iniciou bem a competição foi Kieza. Após uma passagem apagada pelo São Paulo no começo do ano, o jogador retornou ao Vitória e foi importante nos primeiros jogos da equipe baiana. Porém, assim como Grafite o jogador não consegui ter o mesmo rendimento nos jogos seguintes e o time despencou na tabela.

Após um inicio mais apagado, Diego Souza, Gabriel Jesus e Vitor Bueno cresceram no final do primeiro turno e chegaram ao topo da artilharia do Brasileirão. Mas desde então pouco conseguiram fazer e praticamente mantiveram a mesma quantidade de gols da virada do turno.

No caso de Gabriel Jesus, o jovem atacante ficou de fora ainda de algumas rodadas por ter participado das Olimpíadas com a Seleção Brasileira. Após o seu retorno, Jesus marcou apenas um gol, no empate contra o Flamengo em confronto direto pela liderança, mostrando a importância para um clube de ter um matador em quem possa confiar em momentos decisivos. Gabriel é o jogador com melhor média de gols por jogo na Série A (0,61 gols por partida)

Enquanto Gabriel estava vestindo a camisa amarela, Robinho cresceu no torneio e chegou aos mesmos 11 gols marcados pelo jogador do Palmeiras no Brasileirão. No entanto, participou de 21 partidas do clube, três jogos a mais que o jogador do que Jesus. O crescimento de Robinho foi essencial também para o salto do Atlético Mineiro na tabela de classificação. No começo do torneio, o Galo chegou a estar entre as equipes do Z4. Mas após uma boa sequência de vitórias, o time mineiro chegou a terceira posição e segue vivo na briga pelo título nacional. 

Os altos e baixos das equipes e a instabilidade dos seus atacantes não são meramente coincidências. No final deste campeonato, fique atento ao rendimento dos atacantes das equipes. Com um campeonato equilibrado como este, qualquer detalhe pode decidir as coisas. 

Alterado: Segunda, 26 Setembro 2016 11:27

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook