O Maracanã vai ser devolvido em outubro, sem choro! }

O Maracanã vai ser devolvido em outubro, sem choro!

por   em Editorial

As reclamações da torcida do Flamengo não devem ser direcionadas a Marcelo Rubens Paiva, mas a desorganização da diretoria rubro-negra

Destaque O Maracanã vai ser devolvido em outubro, sem choro! GOVERJ
Gostou: avalie
(1 Voto)
O Maracanã vai ser devolvido em outubro, sem choro! - 5.0 out of 5 based on 1 vote
Publicidade

Em outubro de 2009, o Rio de Janeiro venceu a concorrência de Madri, Tóquio e Chicago e foi escolhido como a sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Entre o anúncio da eleição e a realização do evento, sete anos se passaram e mesmo assim a torcida do Flamengo resolveu crucificar o diretor artístico das cerimônias de abertura e fechamento das Paralimpíadas, Marcelo Rubens Paiva, por conta da “demora” no retorno do futebol ao Maracanã.

Já se sabia que o estádio seria utilizado na realização dos Jogos. Era senso comum que o Maraca era o melhor lugar para se realizar as cerimônias, principalmente após a reforma pela qual passou para abrigar também a Copa do Mundo de 2014.

Agora me explica uma coisa: por que as diretorias dos clubes cariocas não se prepararam para esta situação?

Por conta da realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, o governo do Rio de Janeiro reservou o Maracanã para o Comitê Rio-2016 de 1º de março até o dia 30 de outubro. A data já estava estabelecida desde 2015 e ainda abriu-se uma exceção para a realização das finais do Campeonato Carioca, entre Vasco e Botafogo.

Irmão, não existe qualquer justificativa para a desorganização dos clubes cariocas durante este ano.

O mais organizado foi o Botafogo, que também sofreu com a locação do Nilton Santos para as Olimpíadas. Fechou um acordo com a Portuguesa-RJ, reformou o Estádio Luso-Brasileiro, mas só conseguiu começar a utilizá-lo em julho, uma vez que a reforma do local só foi iniciada em maio, depois do início do Brasileirão.

O Fluminense decidiu adotar Estádio Giulitte Coutinho, em Edson Passos, e eventualmente levou partidas como mandante para Brasília.

A situação do Flamengo gera discussão na diretoria do clube até hoje. Muito confuso, o clube já mandou suas partidas do Campeonato Brasileiro para o Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, Arena das Dunas, em Natal, Mané Garrincha, em Brasília, Kleber Andrade, em Cariacica (ES), e Pacaembu, em São Paulo.

Os constantes deslocamentos desgastam o elenco, mas também colaboram com os cofres do clube.

Agora, na visão da torcida e da diretoria, já chegou a hora do Flamengo voltar ao Maracanã. O único empecilho é a desmontagem da estrutura utilizada pela Paralimpíada, que está programada para acabar perto do dia 30 de outubro, quando ficou combinado que o estádio seria devolvido.

Só que a data de entrega já estava estabelecida, não existe qualquer motivo para que haja reclamações a respeito dela. A diretoria do Flamengo passou a pressionar o Comitê da Rio-2016 e o governo do estado para poder mandar seus jogos antes do prazo previsto, o que não vai acontecer.

Agora descobriram o tal do buraco feito no centro do gramado e estão utilizando-o como bode expiatório para a situação toda, sendo que quem está errado aí não é Marcelo Rubens Paiva, que autorizou a abertura do furo no chão, é o Flamengo que não quer respeitar o contrato firmado pelo estado do Rio de Janeiro. O brasileiro tem que parar com essa mania de tudo se dar um “jeitinho”, o que é combinado, não é caro. Ponto.

Qualquer reclamação só poderia ser feita, caso o prazo não fosse respeitado pelo Comitê Rio-2016 ou alguma avaria causada pelos Jogos não fosse reparada.

A devolução do estádio ocorrerá no dia 30 de outubro e, se reclamar, ninguém mais joga no Maracanã em 2016! O choro é livre! Vamos jogar bola!

Autor: Guilherme Feijó.

Esse artigo foi citado em: Coluna do Marcelo Rubens Paiva no Estadão

 

Alterado: Sábado, 08 Outubro 2016 23:06

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook