Seleção ensaia retomada com ouro olímpico }

Seleção ensaia retomada com ouro olímpico

por   em Editorial

Se pouca coisa mudou no futebol brasileiro, pelo menos dentro de campo a Seleção volta a conseguir um resultado expressivo

Destaque Jogadores e torcida comemoram a medalha de ouro Divulgação / CBF Jogadores e torcida comemoram a medalha de ouro
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Apesar de não representar uma revanche do Brasil contra o futebol alemão, a conquista da medalha de ouro nas Olimpíadas, inédita para o país, aponta o início de uma retomada na Seleção. Ainda que não apague a gestão pouco transparente e recheada de escândalos da CBF, pelo menos dentro de campo o selecionado brasileiro voltou a conquistar um resultado importante. Afinal, o ouro olímpico já havia se tornado obsessão para o Brasil, a ponto de levarmos nossos melhores atletas ao torneio, algo que o restante das equipes não fez.

A Seleção, como de costume, não realizou um trabalho planejado de quatro anos, que utilizou os mundiais sub-20 como base, por exemplo. Mais uma vez a formação do grupo aconteceu no improviso, apostando no talento dos atletas brasileiros.

Depois de um início de torneio conturbado, em que a equipe brasileira não conseguiu vencer as frágeis seleções da África do Sul e do Iraque e parecia caminhar para mais um vexame em casa, o Brasil conseguiu se recuperar. Rogério Micale encontrou um time titular e uma maneira de jogar, e os jogadores responderam em campo. A seleção somou vitórias, os gols apareceram, e o time canarinho voltou a disputar uma decisão olímpica.

Num Maracanã lotado, frente à organizada seleção olímpica alemã, o Brasil mostrou personalidade. Apesar das três bolas na trave que a defesa sofreu, o time criou chances e se mostrou efetivo tanto na criação quanto na marcação. Neymar fez prevalecer a liderança técnica que tem junto ao elenco. Comandou a equipe, distribuiu jogadas e decidiu. Marcou um golaço de falta no goleiro Horn, que deu a liderança do placar ao Brasil já na primeira etapa.

No segundo tempo de partida, a seleção brasileira se manteve bem postada. Mesmo depois de sofrer o gol de empate, marcado por Meyer, a equipe não se abalou. A partir de então, o jogo seguiu tenso, com chances de gols perdidas pelas duas seleções, mas sem alterações no placar.

A prorrogação mostrou cansaço de ambos os times, e o jogo foi para a decisão nos pênaltis. E aí, brilhou a estrela do goleiro Weverton, que defendeu chute de Nils Petersen, e dos batedores brasileiros, que não erraram nenhuma cobrança para dar ao país sua primeira medalha de ouro olímpica.

O resultado mostra que os talentos continuam a surgir no futebol brasileiro, já que houve destaques em todos os setores do campo. A crise por que passa a seleção nos últimos anos tem mais a ver com coerência e seriedade no trabalho. Com a chegada de Tite ao time principal do Brasil, a esperança é que a Seleção comece finalmente a retornar aos trilhos.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook