A supervalorização dos jogadores }

A supervalorização dos jogadores

por   em Editorial

Clubes estão dispostos a pagar muito caro por jogadores que ainda não conseguiram se destacar individualmente na Europa

Destaque A supervalorização dos jogadores Reprodução/Youtube
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Nesta semana o jornal francês L’Équipe cravou a transferência de Paul Pogba para o Manchester United em uma negociação recorde de 120 milhões de euros. No entanto, no dia seguinte o empresário do jogador negou que o francês teria fechado algum acordo com o clube inglês.

Na terra da pizza, o argentino Gonzalo Higuaín, artilheiro do último Campeonato Italiano com 36 gols, desperta interesse de um dos principais rivais da Napoli: a Juventus. Segundo a imprensa espanhola, o atacante está perto de fechar com a Velha Senhora que deve pagar o valor da sua multa rescisória avaliada em 94,7 milhões de euros.

Os números citados acima são assustadores. Somente grandes equipes do futebol europeu conseguem desembolsar tal quantia para contratar um atleta. No entanto, a supervalorização destes jogadores acaba inflacionando o mercado, jogando o valor de outros jogadores nas alturas.

Sejamos diretos. Pogba e Higuaín não são craques e muito menos valem todo este dinheiro que Juventus e Manchester United pretendem desembolsar fazendo com que os dois entrem no top 3 das transferências mais caras da história do futebol.

Aos 28 anos, Higuaín não pode ser considerado mais uma jovem promessa. Revelado pelo River Plate, o argentino teve uma longa passagem pelo Real Madrid (2007-2013), porém, nunca foi o destaque da equipe merengue e tampouco conseguiu se firmar entre os titulares ao longo dos anos. Assim como na seleção argentina, onde é duramente criticado pela imprensa e por toda a torcida, principalmente por erros em momentos decisivos, além da irregularidade nas partidas.

Desde 2013 na Napoli, conseguiu se destacar apenas na última temporada na Itália, ao se tornar o maior goleador do país. Se sua transação for confirmada, ultrapassará, por exemplo, a de Cristiano Ronaldo que saiu do Manchester United por 94 milhões de euros e hoje é considerado ao lado de Messi o melhor jogador do mundo.

Paul Pogba é mais novo que o argentino. Aos 23 anos ainda é considerado uma das promessas do futebol francês. Formado nas categorias de base do Manchester United, não teve oportunidade no time profissional e acabou deixando o clube de graça, assinando com a Juventus em 2012.

Na Velha Senhora já conquistou quatro Campeonatos Italianos, mas em nenhum deles foi o protagonista da equipe. Na seleção francesa ainda não conquistou nenhum título no time profissional e deixou a desejar na última Eurocopa, enquanto Griezmann brilhava.

A provável volta aos Red Devils por 120 milhões de euros ultrapassará a transação de Gareth Bale, comprado pelo Real Madrid por 101 milhões de euros, e tranformará Pogba no jogador mais caro do futebol.

Para efeito de comparação e fazendo o cambio do valor para a nossa moeda, Pogba custaria R$430 milhões e poderia saldar o investimento feito pelo Internacional na reforma do estádio Beira-Rio para a Copa do Mundo (R$382 milhões). O montante também poderia pagar a folha salarial de qualquer grande clube brasileiro por no mínimo quatro anos ou servir de investimento para a contratação de quatro bons jogadores, equilibrando mais o elenco de qualquer clube.

Pogba e Higuaín são bons jogadores e cairiam bem em praticamente qualquer time europeu. No entanto, o preço estipulado para a contratação dos dois jogadores é muito acima do valor que o futebol que ambos apresentaram até hoje.

Alterado: Sábado, 23 Julho 2016 11:07

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook