Foi tudo culpa de Miguel Borja! }

Foi tudo culpa de Miguel Borja!

por   em Editorial

O atacante fez mais que os dois gols que garantiram a vitória do Atlético Nacional, ele colocou em risco um investimento de R$ 22 milhões do São Paulo 

Destaque Foi tudo culpa de Miguel Borja! Rubens Chiri / saopaulofc.net
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Quarta-feira para se esquecer no Morumbi. O São Paulo perdeu para o Atlético Nacional, da Colômbia, por 2 a 0 na primeira partida da semifinal da Copa Libertadores da América. Porém, o prejuízo não foi só o resultado adverso e a provável eliminação do torneio continental.

Miguel Borja é o nome do responsável por colocar em risco um investimento de R$ 22 milhões de reais do Tricolor Paulista. O atacante colombiano marcou os dois gols dos adversários, mas fez pior: cavou a expulsão do zagueiro Maicon, capitão da equipe brasileira, ídolo instantâneo e comprado junto ao Porto por um valor astronômico.

Peça fundamental da defesa são-paulina durante toda a campanha do time na Libertadores, Maicon sentiu o gosto de ser o vilão da história, após ter sido considerado o grande herói da classificação do Tricolor nas quartas, em confronto diante do Atlético-MG.

Foi depois de sua expulsão, aos 28 minutos do segundo tempo, que os donos da casa deixaram que o time de Medellín crescesse e construísse a ótima vantagem para o jogo de volta, na semana que vem. O pior é que todo o lance foi bobo. Como diriam os mais velhos: “Atitude de jogador juvenil”. Em uma partida decisiva, dar um tapa na cabeça do adversário bem de frente com o árbitro, não é das melhores ideias.

Este capítulo da história de Maicon abre um novo momento para ele dentro do São Paulo. Depois de chegar como um jogador estabelecido na Europa e pouco conhecido no Brasil, o atleta tomou conta do setor defensivo da equipe e se firmou como um dos símbolos da reação tricolor na Libertadores. Contando, inclusive, com o episódio icônico da partida contra o The Strongest, na qual chegou a atuar como goleiro, na Bolívia.

A partir de agora, o capitão do São Paulo terá de reconquistar a confiança de Edgardo Bauza e de toda a torcida do clube que já o tratava como ídolo, chagando a influenciar a diretoria a gastar R$ 22 milhões para garantir um contrato de quatro anos com ele.

Depois de 49 dias de espera, o Tricolor Paulista não voltou para a Libertadores da maneira que gostaria e descobriu que o prejuízo esportivo pode ir muito além da desclassificação.

Maicon foi emprestado pelo Porto após uma série de más atuações e passagens estranhas, envolvendo pedidos de substituição em partidas importantes.

Agora só nos resta saber até onde o zagueiro terá cabeça para assimilar o seu erro, aprender com ele e se recuperar nas próximas partidas. Como a segunda maior contratação da história do São Paulo, o interessante é que o desfecho da história fosse positivo. Até porque, se não for, esta data, 06/07/2016, será conhecida como “o dia da desclassificação de R$ 22 milhões”.

Alterado: Quinta, 07 Julho 2016 13:00

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook