Até onde Dunga levará o Brasil na Copa América? }

Até onde Dunga levará o Brasil na Copa América?

por   em Editorial

No mesmo palco em que levantou a taça do tetra, o atual treinador brasileiro terá a missão de começar a reconstruir a confiança em seu trabalho

Destaque Até onde Dunga levará o Brasil na Copa América? Rafael Ribeiro/ CBF
Gostou: avalie
(1 Voto)
Até onde Dunga levará o Brasil na Copa América? - 5.0 out of 5 based on 1 vote
Publicidade

Completando 100 anos de história, a Copa América tem mais uma edição se iniciando na sexta-feira (3). A partida entre Estados Unidos e Colômbia, em Santa Clara, na Califórnia, dará o pontapé inicial para o torneio, que tem sua final marcada para o dia 26 de junho, em Nova Jersey. A pergunta que fica é a seguinte: até onde Dunga vai conseguir levar a Seleção Brasileira?

A estreia será no sábado (4), contra o Equador, atual vice-líder das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018. O jogo terá como palco o estádio Rose Bowl, em Los Angeles, o mesmo em que o atual treinador brasileiro ergueu a taça do tetra, em 1994.

O cenário em 2016 é parecido com o encontrado há 22 anos. A Seleção Brasileira não chega como franca favorita ao título, aliás, muito longe disso. Os últimos resultados nas eliminatórias são preocupantes, com empates suados contra Uruguai e Paraguai, além de uma vexatória sexta colocação no torneio, que classifica quatro times de maneira direta para a Copa da Rússia.

Pior ainda, Neymar, o líder técnico e jogador mais decisivo do grupo não foi liberado pelo Barcelona e teve que ficar de fora para conseguir servir o país nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em agosto. Além do retorno em campo, mostrando efetividade no último terço do campo, o atacante impõe o respeito do adversário só pela sua presença, algo que poderá fazer falta contra times mais fortes.

Ricardo Oliveira nem viajou aos Estados Unidos e Douglas Costa também acabou cortado. Só aí são três quartos do ataque brasileiro modificado. Levando em consideração que Neymar e Douglas seriam titulares inquestionáveis de Dunga e o centroavante do Santos teria grandes chances de iniciar as partidas, apenas Willian continua disponível. Além deles, Kaká, Ederson e Rafinha Alcântara estão fora. Foram chamados Jonas, Paulo Henrique Ganso, Marcelo Grohe e Lucas Moura.

Assim, o treinador brasileiro tem a missão de reconstruir o setor em duas semanas de treinamentos. No amistoso contra o Panamá, Jonas foi lançado ao comando do ataque, com Coutinho e Willian fazendo as laterais, além de Renato Augusto e Elias completando o meio. Luiz Gustavo fica mais preso, fazendo a proteção da zaga.

Se for levado em consideração que a Seleção do Panamá está na 52ª posição no ranking da Fifa, era de se esperar que a partida terminasse em goleada brasileira. Mas o resultado final foi um decepcionante 2 a 0, apesar do domínio do time de Dunga.

A inclusão de vários atletas olímpicos na convocação final também é outro aspecto relevante. É de extrema importância que os jogadores sub-23 ganhem bagagem para a disputa do ouro inédito em agosto. No entanto, nem todos os chamados precisariam estar nos Estados Unidos.

Os laterais Douglas Santos e Fabinho deverão levar uma fragilidade muito maior à defesa, caso precisem substituir os titulares Filipe Luís e Daniel Alves. Para incluir Rodrigo Caio, Dunga continuou a preterir Thiago Silva, apontado insistentemente como um dos melhores zagueiros da atualidade.

Somada a preferência de contar com Neymar nas Olimpíadas, a comissão técnica brasileira manda a mensagem de que a Copa América Centenário talvez seja encarada como um torneio preparatório, visando o título de agosto, no Rio de Janeiro.

A primeira fase deverá ser superada com facilidade, muito por conta da presença de Haiti e Peru no grupo. Porém, nas quartas, a pedra no sapato brasileiro poderá aparecer de novo. O cruzamento com o grupo A faz com que seja possível que o time canarinho jogue de novo contra o Paraguai, os mesmo carrascos de 2011 e 2015.

O que a torcida pode fazer é se apegar à história. Em 1994, o jogo final foi no Rose Bowl, talvez o estádio também nos traga sorte como palco da partida inicial. Quem sabe um pouco de mística seja o que esteja faltando para fazer a Seleção voltar aos bons tempos.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook