A Florida Cup é benéfica para o Atlético-MG? - OChute }

A Florida Cup é benéfica para o Atlético-MG?

por   em Editorial

Com pouca atenção da mídia internacional e times do segundo escalão europeu, o torneio de pré-temporada não deve acrescentar ao Galo

Destaque A Florida Cup é benéfica para o Atlético-MG? Bruno Cantini/CAM
Gostou: avalie
(0 votos)
Publicidade

Desde 2015, times brasileiros se encaminham para os Estados Unidos no início da temporada para participarem da Florida Cup. O campeão da edição passada foi o Atlético-MG, que neste ano acabou levando apenas um time cheio de garotos e poucos reservas para o torneio, escolhendo deixar os principais jogadores na Cidade do Galo, em treinamentos comandados pelo novo técnico, Roger Machado.

Logo em seu primeiro desafio, o Atlético perdeu por 1 a 0 para o Bayer Leverkusen, com gol de Chicharito Hernández. Nada de muito anormal, visto que a equipe B do Galo não é tão forte, ainda está sem ritmo de jogo e vendeu caro o resultado. Mas até que ponto a participação na Florida Cup está beneficiando o clube?

O principal argumento dos times brasileiros que topam participar da competição de pré-temporada nos EUA é a famosa internacionalização da marca. Com um mercado emergente de futebol, com a Major Soccer League ganhando cada vez mais força, os clubes tupiniquins veem na Florida Cup uma oportunidade de aparecerem para o público norte-americano. Porém, o torneio chama pouca atenção de mercados externos como o da Europa, justamente pelos representantes do continente na disputa.

Os jogos contra equipes europeias são vistos com bons olhos. No entanto, este ano, apenas Bayer Leverkusen e Wolfsburg toparam participar do torneio, clubes que atualmente pertencem ao segundo escalão do Velho Continente e são mais prestigiados apenas na Alemanha, portanto, não contam com estrelas mundiais. Além deles, somente o Tampa Bay Rowdies, dos Estados Unidos, pode ser considerado um adversário diferente na disputa, uma vez que Estudiantes, River Plate, Barcelona de Guayaquil e Millonarios são times que enfrentam os brasileiros corriqueiramente em competições sul-americanas.

Além de tudo, Roger Machado está no começo de seu trabalho na Cidade do Galo. Seria importante para ele poder acompanhar de perto o trabalho de alguns jogadores que acabaram sendo levados para os Estados Unidos. O lateral-direito Patric vem oscilando no Atlético, mas chegou a ser titular de Marcelo Oliveira, o atacante Carlos, além dos garotos mais promissores, como o zagueiro Jesiel. Sem contar o volante Lucas Cândido, que poderia estar cavando um lugar na equipe titular, já que o treinador conta apenas com Rafael Carioca para a posição no início de trabalho no CT do clube.

Assim, ao mesmo tempo que o torneio pode ter aparecido como uma boa alternativa comercial para o Galo, esportivamente não deve acrescentar muito para o sucesso da temporada 2017.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook