Pelo fim dos estaduais! }

Pelo fim dos estaduais!

por   em Editorial

Estaduais sobrevivem por mais um ano com públicos fracos e baixa qualidade técnica dos times. Campeonatos regionais começam a ameaçar as federações.

Destaque Pelo fim dos estaduais! Reprodução
Gostou: avalie
(1 Voto)
Pelo fim dos estaduais! - 5.0 out of 5 based on 1 vote
Publicidade

Entra ano e sai ano e a discussão entre os maiores times do país continua a mesma: será que vale a pena participar dos tradicionais, porém falidos, campeonatos estaduais?

E neste ano a dúvida aumentou em virtude da Primeira Liga.

Alguns dos principais clubes discutem a realização de campeonatos longos, contra times de baixo índice técnico e pouco atrativo para o público. Os custos também acabam sendo altos, com viagens e o custo de abrir um estádio que não terá, em muitos casos, nem metade da lotação máxima.

Há anos que os estaduais só sobrevivem pelo lobby das federações. Os presidentes dessas federações precisam de votos para se perpetuar no poder, por isso negociam com presidentes de clubes menores a manutenção dos campeonatos em troca do apoio nos pleitos. E os times “grandes” dos estados acabam participando das competições para não sofrerem sanções das federações e perderam a oportunidade de disputar campeonatos nacionais, como, por exemplo, a Copa do Brasil que, via de regra, é disputada pelas equipes com melhores desempenhos nos estaduais.

Também é de se levar em consideração que os estaduais não trazem novidades em suas finais. Se pegarmos os estaduais de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná como parâmetro, podemos dizer que apenas no Campeonato Paulista houve uma surpresa, com o Audax classificado para disputar a final, contra o Santos. No Carioca e no Paranaense teremos clássicos definindo os campeões, Botafogo e Vasco e Coritiba e Atlético, respectivamente.

Nos campeonatos Gaúcho e Mineiro não podemos classificar como surpresa a presença de Juventude e América nas decisões. Tradicionalmente, o América é considerado a terceira força de Minas Gerais, estando sempre presente em competições nacionais. O Juventude, no Rio Grande do Sul, já teve grandes momentos no país, tendo sido, inclusive, campeão da Copa do Brasil e está se reerguendo depois de amargar alguns resultados ruins. Ou seja, dentro dos estados que os abrigam, América e Juventude são clubes tradicionais.

A proposta ideal não seria acabar com os estaduais, afinal, eles movimentam os calendários de muitas equipes, principalmente no interior dos estados, mas sim readequar estes campeonatos.

Uma ideia seria a realização de campeonatos regionais, com as principais forças de cada estado participando, e o estadual servindo de critério de classificação para a disputa interestadual. Seria benéfico para todos. Os clubes se preparariam melhor para a disputa do Campeonato Brasileiro, pois enfrentariam equipes com índice técnico parecido. Os torcedores seriam agraciados com disputas mais atrativas e, dessa maneira, teriam maior interesse em ir aos estádios. Com maior presença de público, as receitas dos clubes também seriam maiores.

Nesse formato, até as federações estaduais seriam beneficiadas, pois os times menores de cada estado entrariam com maiores chances de abocanhar o título e, quem sabe, uma vaga na competição regional.

Exemplos de que esta iniciativa pode dar certo não faltam. A Copa Verde (disputada por clubes do Norte e do Centro-Oeste do país) e a Copa do Nordeste estão ai para provar que a fórmula é boa. A Primeira Liga, que foi disputada este ano, também foi uma decisão acertada dos clubes (tiveram algumas falhas, é verdade, mas nada que não possa ser acertado).

Faltam apenas conversas entre clubes, federações e CBF. E boa vontade das três partes!

Alterado: Quarta, 27 Abril 2016 16:22

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook