A imbecilidade das listas da internet }

A imbecilidade das listas da internet

por   em Editorial

Pelé não figura entre os melhores na enquete da revista “France Football”. Eleição pela internet coloca o “Rei” apenas na sétima posição.

Destaque A imbecilidade das listas da internet Marcello Casal Jr./ (Arquivo) Agência Brasil
Gostou: avalie
(2 votos)
A imbecilidade das listas da internet - 5.0 out of 5 based on 2 votes
Publicidade

Que me perdoem todos os que não concordam, mas uma lista que não coloque Pelé como melhor jogador de futebol de todos os tempos não merece ser levada a sério.

E isso, pasmem, é exatamente o que está acontecendo em uma eleição realizada pela revista “France Football”, que, aliás, é respeitadíssima no mundo do futebol e coorganizadora, junto com a FIFA, do prêmio anual de melhor jogador do mundo.

Antes de qualquer coisa, lembro a todos que a premiação, inclusive, não se preza a apontar quem é o maior jogador, mas sim quem foi o melhor durante a temporada, ou seja, quem brilhou mais, quem fez mais gols e conquistou mais títulos no período.

Também é importante lembrar que essas votações na internet, geralmente, não analisam o contexto histórico. Aquele jogador que está bem no momento é que tende a ser mais lembrado e, portanto, deve disparar na frente, já que os votantes destas eleições são, na maioria, jovens usuários da rede mundial de computadores. Não podemos esquecer também que muitos fãs clubes de atletas se mobilizam em prol do seu ídolo e fazem enormes campanhas para que ele saia vencedor.

E é esse o motivo pelo qual a “France Football” falhou. Colocar expoentes consagrados do cenário futebolístico concorrendo com atletas mais recentes ou ainda em atividade.

A publicação francesa só começou essa eleição motivada pela recente morte de Johan Cruyff. Escolheram 20 atletas e jogaram os nomes para que os internautas escolhessem qual o melhor de todos os tempos.

Importante lembrar que todos os jogadores escolhidos são, realmente, importantíssimos para a história do esporte e ficarão para sempre imortalizados na galeria dos melhores. Mas, colocar, novamente, Pelé para disputar com outros boleiros não dá aguentar.

É indiscutível a contribuição que Pelé deu para o esporte. Não é por nada que ficou com a alcunha de “Rei do Futebol”. O camisa 10 do Santos e da Seleção Brasileira fazia o que queria com a bola nos pés. Sua vida já foi tema de filmes e documentários ao redor do mundo inteiro. Pelé foi recebido com honras em todos os lugares pelos quais passou. Uma guerra foi paralisada apenas para que pudessem vê-lo jogar. Um rei, de verdade, desceu de sua tribuna de honra e foi ao gramado para prestar sua homenagem ao maior jogador de todos os tempos.

Com tudo isso (e ainda diversos outros fatos não citados por aqui) é inadmissível que Pelé ocupe a sétima posição na enquete da revista francesa, com míseros 3%. Estar entre os 10 melhores de qualquer lista é uma honra para quase todo mundo, mas não para Pelé. Ele deve ser considerado “hours concours” em qualquer, absolutamente qualquer, eleição de melhor jogador de futebol, quiçá de atleta.

Sem contar que a pretensa lista de melhores jogadores esquece-se de citar nomes inesquecíveis, tais como o de Romário, Zico, Baggio, Masopust, Paolo Rossi e tantos outros.

Essas listas de internet deveriam ser banidas. Quando você tem analistas sérios que dão suas interpretações de por qual motivo colocam este ou aquele atleta no topo de suas listas até vá lá. Mas deixar a escolha na mão dos internautas pode trazer grandes injustiças e decepções, tal qual uma enquete feita certa vez pelo Botafogo, quando Túlio foi eleito o melhor jogador, ficando na frente de ninguém menos que Garrincha.

Entre ou criar uma conta

fb iconAcesse com Facebook